Preços altos da eletricidade castigam lucros da Iberdrola

  • Lusa
  • 27 Outubro 2021

Elétrica espanhola lucrou 2.408 milhões de euros até setembro, menos 10,2% do que no mesmo período de 2020. Preços da energia penalizaram as contas.

A Iberdrola obteve resultados líquidos de 2.408 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, menos 10,2% que no mesmo período de 2020, devido aos preços da energia, especialmente em Espanha, foi anunciado esta quarta-feira.

Num comunicado divulgado esta quarta-feira, a empresa refere que, contudo, excluindo os efeitos dos preços da energia, novos impostos e itens extraordinários menores, tais como a venda de 8% da Siemens Gamesa, que em 2020 deu uma mais-valia de 485 milhões, o lucro ajustado da Iberdrola atingiu 2.688 milhões de euros, mais 5,2% que no mesmo período de 2020.

A Iberdrola precisa que o Governo espanhol introduziu em meados de setembro medidas com impacto na atividade da empresa que agora aliviou, pelo que espera que o efeito que agora teve nas contas não se mantenha nos próximos meses.

O regulamento, que o Governo suavizou na terça-feira, reduziu os lucros da Iberdrola em 114 milhões de euros, um efeito que o presidente da empresa, Ignacio Sánchez Galán, espera não se manter nos próximos meses com as medidas introduzidas pelo Governo.

Nos primeiros nove meses do ano, os preços elevados da energia no Reino Unido e em Espanha já tiveram um impacto significativo no negócio global de produção e clientes da Iberdrola, cujo lucro bruto de exploração (EBITDA) caiu 44,7% para 1.086,1 milhões de euros.

Em Espanha, onde esta redução dos lucros tem sido aplicada desde meados de setembro, o lucro líquido caiu 87% para 76,3 milhões de euros.

Segundo Sánchez Galán, a Iberdrola vende toda a sua energia limpa – ou seja, energia renovável que não consome gás – a uma taxa fixa, o que permitiu aos clientes que dela beneficiam poupar um total de 2.000 milhões de euros em comparação com o que teriam de pagar com o preço do mercado grossista.

Sublinhou o esforço feito pela empresa, que teve de comprar eletricidade no mercado por não ter produção suficiente, ao mesmo tempo que salientou que a Iberdrola continua com os seus investimentos em Espanha, que nunca parou, apesar da incerteza regulamentar criada pelo decreto-lei do Governo.

A este respeito, indicou que nos primeiros nove meses do ano, a Espanha foi o país em que a Iberdrola mais aumentou os seus investimentos, em 20%, ascendendo a 1.600 milhões de euros.

Iberdrola pede “uma política clara para cumprir os planos que tem”, disse Galán, que indicou que como a situação é agora “mais clara”, os planos permanecem inalterados e vão continuar na mesma linha.

Sánchez Galán ratificou as previsões da Iberdrola de pagar um dividendo de 0,44 euros por ação e alcançar um lucro de 4.000-4.200 milhões de euros em 2022.

Relativamente à forma como a inflação dos preços poderia afetar a empresa, o presidente da Iberdrola salientou que todas as suas compras já estão totalmente cobertas para 2021 e 2022, salientando ao mesmo tempo que 96% da eletricidade é vendida a preços que já estão garantidos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Preços altos da eletricidade castigam lucros da Iberdrola

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião