OPEP+ rejeita pedido de Biden e mantém ritmo de aumento de produção

  • ECO
  • 4 Novembro 2021

Presidente dos EUA apelou a um aumento mais acelerado da produção para estabilizar preços, mas a OPEP e aliados decidiram manter o ritmo de subida de produção em 400 mil barris por dia até dezembro.

A OPEP e os aliados concordaram em manter o ritmo de aumento de produção em 400 mil barris por dia até dezembro, rejeitando os pedidos dos EUA para acelerar a produção e assim aliviar os preços do petróleo.

Fonte da OPEP+ adiantou à Reuters que os EUA já dispõem de capacidade suficiente para eles próprios aumentarem a oferta no mercado se quiserem moderar as cotações do “ouro negro” nos mercados e cujos preços elevados poderão afetar a retoma económica após a pandemia.

Os preços do petróleo dispararam este ano para máximos de três anos, acima dos 86 dólares por barril, com a oferta a ser manifestamente insuficiente para responder à normalização da procura após a pandemia.

Neste momento, o Crude para entrega a 19 de novembro sobe 0,46% para 81,19 dólares por barril, e o Brent para entrega a 30 de novembro valoriza 0,74% para 82,55 dólares.

Petróleo sobe

Do lado dos produtores, contudo, há o receio de acelerarem a produção rapidamente quando a pandemia ainda não está totalmente superada, podendo surgir novas restrições.

O Presidente dos EUA, Joe Biden, tinha apelado aos países produtores que integram o G20 para aumentarem a capacidade de produção para assegurar uma retoma económica global sólida.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

OPEP+ rejeita pedido de Biden e mantém ritmo de aumento de produção

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião