Depois de Costa, Rio promete reduzir impostos se for primeiro-ministro

António Costa prometeu incluir as propostas do OE2022 no programa eleitoral e aplicá-las com retroativos se ganhar eleições. Rui Rio também quer reduzir impostos se for primeiro-ministro.

Primeiro terá de vencer as eleições internas a Paulo Rangel a 27 de novembro, mas Rui Rio já promete aos portugueses uma redução dos impostos se for primeiro-ministro. Numa conferência de imprensa onde anunciou que vai concentrar-se na oposição ao PS e desligar-se da disputa interna, o presidente do PSD garantiu que fará um “esforço enorme” para prever uma descida da carga fiscal no programa eleitoral social-democrata.

Esta promessa — a única referida por Rio nas respostas aos jornalistas — chega depois de António Costa ter dito esta segunda-feira, em entrevista à RTP, que irá transformar as medidas do Orçamento do Estado para 2022 (OE 2022), que foi chumbado, em promessas eleitorais, como é o caso do aumento mensal extra de 10 euros para os pensionistas que auferem até 1.097 euros ou a redução do IRS através da criação de dois novos escalões e a mudança das taxas marginais.

Uma das coisas que todos sabem é que vamos fazer um esforço enorme para poder propor, não tenham dúvidas nenhumas: a redução da carga fiscal“, garantiu Rui Rio esta terça-feira, ressalvando que não sabe “dizer exatamente” quanto e em que impostos essa redução será sentida. Esse é um trabalho que terá de fazer nas próximas semanas, daí ter anunciado que vai focar-se inteiramente nas eleições legislativas antecipadas de 30 de janeiro em vez de entrar na troca de acusações com Rangel.

No que toca à redução dos impostos, o presidente do PSD diz que é necessário “fazer as contas, avaliar as projeções económicas, ver como o país fica com duodécimos e depois com o Orçamento para 2022”. É algo que “tem de ser feito com responsabilidade”, acrescentou, argumentando que as promessas eleitorais do PSD têm de ser exequíveis para não defraudar os eleitores.

No sábado, o Expresso revelou que o PSD irá atualizar a proposta de reduzir 3,7 mil milhões de euros em impostos para os cidadãos e empresas que constava no programa eleitoral das legislativas de 2019, adaptando-o à nova realidade económica e financeira do país pós-pandemia. Porém, Joaquim Miranda Sarmento, presidente do CEN, deixou claro que a promessa para 2022 pode ser inferior: “Com a dívida pública maior e havendo défice orçamental, a redução de IRS e de IRC que prevíamos pode não ser nos mesmos montantes“, justificou ao semanário.

Na mesma conferência de imprensa, Rio explicou que o Conselho Estratégico Nacional tem “muitos documentos e ideias”, fruto do trabalho realizado desde há quase quatro anos, mas é “preciso selecionar ideias” para decidir o que o PSD proporá aos portugueses em cada área.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Depois de Costa, Rio promete reduzir impostos se for primeiro-ministro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião