Consórcio quer investir 57,4 milhões na produção de insetos

  • ECO
  • 17 Novembro 2021

Grupo de 38 empresas e centros de investigação quer colocar Portugal na vanguarda da indústria dos insetos. Plano prevê construção de quatro fábricas e aposta na investigação e desenvolvimento.

Chama-se Agenda InsectERA, reúne 38 empresas e centros de investigação, e espera criar 140 novos postos de trabalho e chegar aos 23 milhões de euros de receita em 2025, ano em que estará concluído o plano de investimentos para colocar Portugal na vanguarda da indústria dos insetos.

O consórcio, cuja criação foi anunciada esta terça-feira, pretende “desenvolver a industrialização, comercialização e exportação de produtos inovadores à base de insetos, com soluções para a área alimentar (animal e humana), indústrias da cosmética e dos bioplásticos, bem como para o setor da biorremediação, através da criação de soluções de valorização de resíduos orgânicos”, segundo o comunicado divulgado.

O investimento, com um horizonte de quatro anos, prevê um investimento total de 57,4 milhões de euros, dos quais 25,6 milhões serão canalizados para investigação e desenvolvimento (I&D) e 29,5 milhões de euros para investimento produtivo. As entidades do consórcio contribuem com 19,3 milhões para o bolo.

Segundo o comunicado, o dinheiro será usado na criação de três novas fábricas de produção de insetos, a criação de uma fábrica de produção de quitosano e de um centro logístico. O objetivo é conseguir “a industrialização de, pelo menos, 43 novos produtos e serviços à base de insetos para o mercado”.

“Os insetos são uma solução que vem reforçar a sustentabilidade ambiental no setor agroalimentar, trazendo mais eficiência à cadeia de valor e maior respeito pela utilização de recursos naturais”, aponta Daniel Murta, porta-voz da Agenda InsectERA, citado no comunicado. “Com o envolvimento de todo o setor agroalimentar poderemos colocar Portugal na vanguarda desta indústria, protegendo o know how português e elevando a tecnologia nacional a outro patamar”, acrescenta o também CEO da Ingredient Odissey.

O consórcio envolve três produtores de insetos em Portugal (Ingredient Odissey, Thunderfoods e The Cricket Farm Co.), a consultora de inovação tecnológica INOVA+, os laboratórios colaborativos B2E CoLab, Colab4Food, FeedInov CoLab e IPlantProject CoLab e as empresas Auchan, Mendes Gonçalves, Agromais, Silvex, Mesosystems, Sorga, Savinor, Nutrifarms, PetMaxi, Sensetest, Solfarco, entre outras.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Consórcio quer investir 57,4 milhões na produção de insetos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião