“Fui eu que desafiei” a CNN a vir para Portugal, diz Mário Ferreira

  • Lusa
  • 19 Novembro 2021

Presidente do Conselho de Administração da Media Capital diz que foi o próprio que desafiou a CNN a vir para Portugal. Canal que substitui a TVI24 começa a emitir na segunda-feira.

O presidente do Conselho de Administração da Media Capital afirmou esta sexta-feira que havia “outras opções” de ter uma marca de informação, mas que foi o próprio que desafiou a CNN a vir para Portugal. Mário Ferreira falava num encontro com jornalistas estrangeiros, onde a Lusa esteve presente, em Lisboa.

“Eu reconheço [a CNN] como a marca de notícias mais forte do mundo”, afirmou o acionista de referência e presidente do grupo Media Capital, “das várias opções que existiam, existiam outras opções de ter um branding, ter notícias com marca”.

Para o empresário, que também é acionista do ECO, é “cada vez mais importante as notícias terem uma marca forte, credível”. Por isso, “achámos que para o nosso canal, a CNN era para nós, acionistas, o melhor branding“, sublinhou.

Mário Ferreira salientou que não foi a CNN que entrou em contacto com o grupo Media Capital, mas sim o próprio empresário. “Não foram eles que falaram connosco, fui eu que falei com eles, eu é que os desafiei a aceitar este challenge [desafio] de vir para Portugal”, referiu.

“Fui eu que desafiei através dos meus contactos em Washington”, através de um “grande amigo” que tinha sido embaixador americano em Portugal que colocou em contacto com as “pessoas importantes da CNN que chegarão amanhã [sábado] para passar o fim de semana aqui em Lisboa”, acrescentou.

Relativamente ao projeto CNN Portugal, que arranca na segunda-feira às 21h00, Mário Ferreira referiu que o grupo português tem “o controlo”. Ou seja, “temos autonomia com regras bem delineadas de estilo”, salientou.

“Temos beneficiado muito desta experiência e da aprendizagem da CNN nesta fase de preparação, nós fazemos bom jornalismo e bom jornalismo na televisão em Portugal, mas quando a esse trabalho, que na base é bem feito, se soma um grupo de pessoas que, neste caso, representam uma marca que tem um track record à escala global (…), vem acrescentar no sentido de nos ajudar a trabalhar de outras maneiras, a questionar outros métodos de trabalho, a trazer novas formas de pensar”, isso “tem sido muito bom para as equipas”, acrescentou o diretor da CNN Portugal, Nuno Santos.

“Toda a informação do grupo, não apenas a CNN quando for para o ar agora na segunda-feira, mas toda a informação do grupo, estou a falar aqui da TVI também, estamos hoje mais bem preparados do que estávamos há três meses e não tenho dúvidas que estaremos mais bem preparados daqui a seis meses”, disse, por ser um trabalho em contínuo.

“Queremos ser muito relevantes e crescer em receitas”

O diretor da CNN Portugal, Nuno Santos, afirmou, por sua vez, que o canal tem como objetivos ser “muito relevante” no mercado e “crescer significativamente” e “em receitas”.

Obviamente, “temos objetivos bem delineados e para isso vamos lutar e achamos que o Nuno [Santos] até os quer superar”, disse, por sua vez, Mário Ferreira, presidente do Conselho de Administração da Media Capital e acionista de referência. “Faz parte do processo”, comentou Nuno Santos.

A CNN Portugal “é um novo canal, um novo estilo, feito por bons jornalistas portugueses, mas com uma escola CNN”, referiu Mário Ferreira.

“A CNN soma, não subtrai, nós vamos fazer um canal em português, feito por portugueses e virado para os temas que interessam os portugueses, isso é claro para todos. Tudo que a CNN traz em termos de estilo, forma de abordagem, tratamento das notícias, forma de enquadramento, isso soma à nossa capacidade de produção”, explicou Nuno Santos.

“E, sim, nós vamos transformar a maneira como nós próprios produzíamos informação, isso é um processo”, acrescentou o diretor da CNN Portugal.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Fui eu que desafiei” a CNN a vir para Portugal, diz Mário Ferreira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião