Nas notícias lá fora: turismo mundial, Nissan e Evergrande

  • Joana Abrantes Gomes
  • 29 Novembro 2021

A Organização Mundial do Turismo (OMT) estima perdas no setor que atingem 1,78 biliões de euros este ano. A japonesa Nissan quer que mais de metade dos seus carros sejam elétricos até 2030.

Segundo estimativas da Organização Mundial do Turismo (OMT), o setor deverá perder 1,78 biliões de euros em 2021 devido às restrições ligadas à pandemia. A fabricante de automóveis japonesa Nissan quer que mais de 50% dos veículos que produz sejam movidos a energia elétrica até ao final da década. O Governo espanhol prepara um projeto de lei que quer implementar o atendimento pessoal ao cliente 24 horas por dia. Conheça estas e outras notícias que marcam a atualidade internacional desta segunda-feira.

France 24

Turismo mundial deve perder 1,78 biliões de euros em 2021

O setor do turismo mundial deverá perder dois biliões de dólares (1,78 biliões de euros) este ano devido a restrições ligadas à pandemia, de acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT). Esta estimativa, semelhante às perdas sofridas em 2020, surge numa altura em que têm sido introduzidas novas restrições, particularmente na Europa, para lidar com uma nova vaga de casos da Covid-19 e evitar que a variante Omicron, detetada pela primeira vez na África do Sul, se espalhe por todo o mundo. Estes últimos desenvolvimentos mostram que “a situação é totalmente imprevisível” e que o setor do turismo não está imune a perigos suscetíveis de causar “enormes danos” económicos, disse o secretário-geral da OMT, Zurab Pololikashvili. As chegadas de turistas internacionais deverão permanecer este ano “70 a 75% mais baixas” do que antes da pandemia. Leia a notícia completa na France 24 (acesso livre, conteúdo em inglês)

Cinco Días

Bancos espanhóis terão de atender clientes pessoalmente 24 horas por dia

Os ministérios do Consumo e dos Assuntos Económicos de Espanha juntaram-se para definir uma nova regulamentação ao atendimento ao cliente em serviços essenciais, o que inclui os serviços financeiros. De acordo com o projeto de lei apresentado, os bancos do país terão de dispor de um serviço ao cliente 24 horas por dia, 365 dias por ano, sendo proibida a utilização de atendedores de chamadas ou outros meios semelhantes. A proposta declara que deve haver sempre uma pessoa do outro lado do telefone, formada e com capacidade para lidar com idosos e deficientes. Leia a notícia completa no Cinco Días (acesso livre, conteúdo em espanhol)

Financial Times

Metade dos grandes IPO este ano estão a ser negociados abaixo do preço de venda

Metade das empresas que levantaram mais de mil milhões de dólares em Ofertas Públicas Iniciais (IPO, na sigla em inglês) este ano está a negociar abaixo do preço de mercado, apesar de os mercados de ações estarem robustos em todo o mundo. Na lista de IPO falidos estão alguns nomes conhecidos, como a aplicação de entrega de comida do Reino Unido Deliveroo, o fabricante de alimentos alternativos Oatly e o gigante indiano de pagamentos Paytm. Este fraco desempenho levantou dúvidas sobre as avaliações atribuídas a empresas por grandes investidores. Os dados da Dealogic mostram que 49% dos 43 IPO que levantaram mil milhões de dólares ou mais este ano em Londres, Hong Kong, Índia e Nova Iorque estão a negociar abaixo dos preços de mercado. Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Reuters

Ações da Evergrande caem depois de o presidente reduzir participação

As ações do grupo imobiliário chinês Evergrande caíram 4,8% esta segunda-feira, depois de o seu presidente ter reduzido a sua participação na empresa devido ao grave problema de liquidez. Também caíram as ações da unidade de veículos elétricos do grupo, em mais de 5%, após ter dito que a imobiliária ainda estava a explorar formas de conseguir capital para a unidade com diferentes investidores. Leia a notícia completa na Reuters (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Bloomberg

Nissan quer mais de 50% dos seus carros com energia elétrica até 2030

O fabricante japonês de automóveis Nissan Motor anunciou um plano para tornar mais de metade dos carros que vende em todo o mundo eletrificados até ao ano fiscal de 2030. A estratégia, que envolve um investimento de cerca de 17,61 mil milhões de euros nos próximos cinco anos, visa lançar 23 novos modelos eletrificados — incluindo 15 modelos totalmente elétricos e oito híbridos — das suas marcas Nissan e Infiniti nesse período. No ano fiscal de 2026, a empresa pretende que mais de 75% das suas vendas na Europa sejam veículos eletrificados. Até essa data, a empresa espera também que mais de 55% e 40% dos veículos que vende no Japão e na China, respetivamente, sejam eletrificados, e que 40% das vendas para os EUA também sejam de elétricos. Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: turismo mundial, Nissan e Evergrande

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião