Nas notícias lá fora: Macron, Sony e preços do gás

  • ECO
  • 5 Janeiro 2022

Macron está a ser criticado por usar um palavrão em relação aos cidadãos não vacinados. No plano empresarial, a Sony quer lançar uma empresa para entrar no mercado dos carros elétricos.

Emmanuel Macron está a ser criticado pela oposição em França por dirigir um palavrão aos cidadãos não vacinados. No mundo empresarial, a Sony está a planear entrar no setor dos carros elétricos, ao passo que a Chrysler, do grupo Stellantis, manifestou a intenção de se tornar numa marca 100% elétrica até 2028. Ainda no setor automóvel, a Toyota ultrapassou a General Motors, sendo agora a fabricante de automóveis mais vendida nos EUA.

Le Parisien

Macron diz que estratégia é dificultar a vida aos não vacinados

Emmanuel Macron está a ser criticado pela oposição por ter usado um palavrão numa entrevista ao jornal Le Parisien. Falando sobre a estratégia de combate à pandemia, o presidente francês deu a entender que tenciona irritar e dificultar a vida aos cidadãos que recusem ser vacinados, apesar de descartar medidas como a vacinação obrigatória. “Não os vou pôr na prisão, não os vou vacinar à força. Por isso, temos de lhes dizer [aos não vacinados] que, a partir de 15 de janeiro, não poderão ir mais a um restaurante, não poderão beber uma cerveja, não poderão tomar um café, ir ao teatro, ao cinema…”, disse Macron.

Leia a entrevista completa no Le Parisien (acesso pago/conteúdo em francês).

Financial Times

Sony quer lançar empresa de carros elétricos

A Sony planeia lançar a marca Sony Mobility para entrar no mercado de carros elétricos. O anúncio foi feito pelo presidente executivo da empresa japonesa, Kenichiro Yoshida, que apontou que a intenção é a de que o lançamento ocorra na primavera. Face ao anúncio, a as ações da empresa dispararam 4,2% na bolsa de valores de Tóquio.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado/conteúdo em inglês).

TechCrunch

Stellantis quer Chrysler totalmente elétrica até 2028

A Chrysler, do grupo Stellantis, quer ser uma marca automóvel 100% elétrica até 2028, anunciou a sua presidente executiva. “Vamos transformar completamente o portefólio da Chrysler entre 2025 e 2028, e além”, disse Christine Feuell. A fabricante americana prevê anunciar o seu primeiro veículo elétrico até 2025 e ir adicionando novos modelos de elétricos à medida que vai retirando veículos com motores movidos a gasolina da sua linha. A Stellantis, liderada pelo português Carlos Tavares, anunciou em julho que pretende investir mais de 30 biliões de euros na eletrificação da sua linha de carros.

Leia a notícia completa na TechCrunch (acesso livre/conteúdo em inglês).

The Wall Street Journal

Toyota passa General Motors e torna-se marca de automóveis mais vendida nos EUA

Pela primeira vez, a Toyota ultrapassou a General Motors como a marca de automóveis mais vendida nos EUA. Em 2021, a empresa japonesa vendeu mais 114 mil veículos do que a General Motors, num total de 2,3 milhões de carros vendidos no período. Esta mudança foi, em parte, motivada pela escassez de chips de semicondutores que penalizou de forma diferente as diversas marcas do setor automóvel.

Leia a notícia completa no The Wall Street Journal (acesso pago/conteúdo em inglês).

Reuters

Preços do gás disparam 30% na Europa com aperto no fornecimento russo

Os preços do gás na Europa dispararam 30% na terça-feira, perante os baixos níveis de fornecimento da Rússia que reacenderam os receios de uma crise energética, à medida que o tempo mais frio se aproxima. Um gasoduto que normalmente transporta gás da Sibéria para a Europa estava a enviar fluxos de gás da Alemanha para a Polónia na terça-feira pelo 15.º dia seguido, em vez do fluxo habitual para o oeste europeu. O fornecimento de gás russo da Ucrânia para a Eslováquia também foi reduzido. No mercado dos Países Baixos, o contrato de referência do gás a um mês avançou 23,20 euros para os 95,20 euros por MWh. O contrato de um dia valorizava 29 euros para os 95,50 euros/MWh.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso condicionado/conteúdo em inglês).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: Macron, Sony e preços do gás

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião