Descarbonizar autocarros em cidades custa 2,6 mil milhões de euros

  • ECO
  • 10 Janeiro 2022

Estudo "CleanBusPT" conclui que descarbonizar o transporte público rodoviário urbano é possível em 14 anos com um custo total de 2,6 mil milhões de euros.

A descarbonização dos transportes públicos rodoviários urbanos em Portugal é possível em 14 anos, com um investimento total de 2,6 mil milhões de euros. O custo efetivo, contudo, seria de metade, tendo em conta que 1,3 mil milhões correspondem ao gasto normal de renovação da frota de autocarros.

As conclusões são do estudo “CleanBusPT”, da Fundação Mestre Casais, que defende ainda que o Estado financie a descarbonização com 770 milhões, equivalente a 65% da parcela total. “São condições perfeitamente suportáveis para o Estado português e para os operadores”, aponta José Gomes Mendes, um dos autores e ex-secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, citado pelo Diário de Notícias (acesso pago).

Segundo o estudo, há, atualmente, 5.633 autocarros em operação no país, com uma idade média de 16 anos, mas 24% têm mais de 21 anos. Do total de veículos em serviço, 4.808 são autocarros standard, e 5.107 são movidos a diesel. A fatia de elétricos corresponde, por enquanto, a 46 autocarros standard e nove minibuses (limite de 50 passageiros).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Descarbonizar autocarros em cidades custa 2,6 mil milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião