Patricia Ayuela nomeada líder executiva da Línea Directa

  • ECO Seguros
  • 22 Fevereiro 2022

Engenheira industrial de formação há 19 anos na empresa, a nova CEO dirigia até agora o ramo automóvel, principal negócio da Línea Directa, 5ª maior no ramo em Espanha e cotada em bolsa.

Com Patricia Ayuela no conselho de administração (CA), a seguradora passa a ter um CA constituído em 57% por mulheres.

O conselho de administração (CA) da espanhola Línea Directa nomeou Patricia Ayuela administradora executiva da sociedade e Administradora Delegada da seguradora, em substituição de Miguel Ángel Merino González, que se demitiu do cargo e das funções no CA. Ao fim de 27 anos na companhia que ajudou a fundar e, nos últimos 11, prestando serviço como líder executivo, Merino resignou com efeitos à data do termo da reunião da administração (17 de fevereiro).

Engenheira industrial de formação com currículo académico enriquecido em universidades dos EUA, Patricia Ayuela assume a direção executiva da companhia afirmando: “Hoje é um dia de enorme satisfação, mas também de grande responsabilidade ao enfrentar um desafio desta magnitude. É um privilégio continuar o trabalho que tem vindo a ser realizado com tanto sucesso por Miguel Ángel Merino.”

Nomeada para assumir funções no imediato, Patricia Ayuela de Rueda torna-se 4º CEO na história da sociedade cotada em bolsa (Línea Directa Aseguradora, S.A., Compañía de Seguros y Reaseguros). Com a sua nomeação, o conselho de administração da empresa passa a ser constituído em 57% por mulheres, assinala a empresa.

Enquanto membro do comité executivo da seguradora (5ª maior no ramo automóvel em Espanha e 12ª no seguro habitação), Patricia Ayuela participou ou liderou em projetos estratégicos da companhia, contribuindo para elevar o posicionamento da Línea Directa nos rankings espanhóis do ramo auto, que representa mais de 80% do negócio do grupo, para onde entrou em 2003.

Desde então acumulou experiência e amplo conhecimento de empresa, exercendo como diretora de Qualidade (2008-2009), direção da linha negócio Habitação (2009-2015) e desde 2016 a liderar a área Motor (seguros auto, motos, empresas e internacional), cargo que, desde 2017, passou a acumular com a direção de Transformação Digital da companhia.

Lucros recuaram 18% em 2021

Entretanto, a seguradora digital espanhola divulgou números relativos ao exercício de 2021, apontando decréscimo de 18,3% no lucro, que ascendeu a 110,1 milhões de euros.

Praticamente estabilizadas, as receitas com prémios de seguro avançaram 1% face ao ano anterior, cifrando-se em 907,1 milhões de euros, refletindo acréscimo de segurados em todas linhas de negócio, em particular Lar e Saúde, áreas vocacionadas para fidelização de clientes.

O negócio Autos, que representou 82% da receita, faturou 748,1 milhões de euros, menos 0,9% do que em 2020, um decréscimo explicado pelo contexto de forte concorrência no setor e em que as vendas de automóveis usados, segmento associado a prémios de valor médio mais baixo parece ter substituído a matrículas de automóveis novos, por sua vez com comportamento mais débil em Espanha, sugere a companhia.

Admissão à bolsa gerou 896 milhões para o Bankinter

A seguradora que já foi integralmente controlada pelo Bankinter estreou-se na bolsa espanhola (BME) em abril do ano passado. Além da Mapfre e da Catalana Occidente, a seguradora que mantém o banco e a sociedade Cartival (de Jaime Botín) como os seus maiores acionistas individuais emergiu então como a terceira seguradora espanhola a negociar no mercado de capitais.

Admitido à negociação em 29 de abril, transitoriamente a negociar no seletivo Ibex 35 (a partir do dia seguinte integrou a lista do Mercado Contínuo), o papel estreou com forte valorização, um movimento promissor de mais-valias consideráveis para os detentores de capital da companhia que, cindida do banco, assumiu compromisso de distribuir 70% dos lucros a cada exercício.

Com a admissão ao mercado acionista (onde negoceia 82,6% do capital social), a Línea Directa Aseguradora não se libertou do Bankinter (que continua a deter 17,4% do capital da seguradora), mas ganhou independência estratégica e transparência, ao mesmo tempo que reforçou a estrutura de capital. A transação na bolsa demonstrará que o banco e a seguradora “valem mais em separado do que juntos,” disse na altura Ángel Merino citado num artigo do jornal El País.

Também a beneficiar do IPO da seguradora, o espanhol Bankinter inaugurou, em janeiro, a época de resultados anuais no mercado financeiro de Madrid apresentando um lucro recorde superior a 1 330 milhões de euros no fecho de 2021.

O montante anunciado beneficiou de aproximadamente 896 milhões de euros da mais-valia (efeito contabilístico extraordinário) obtida com a colocação da Línea Directa em bolsa.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Patricia Ayuela nomeada líder executiva da Línea Directa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião