Galp diz que baixou “integralmente” preço dos combustíveis e que margem de lucro não subiu

Preços do gasóleo e gasolina caíram menos que o esperado pelo Governo. Galp assegura que repercutiu "integralmente" as cotações dos combustíveis nos mercados internacionais na última semana.

A Galp assegura que repercutiu “integralmente” a queda das cotações do gasóleo e da gasolina dos mercados internacionais na semana passada nos preços dos combustíveis em Portugal, e garante que não está a ganhar mais dinheiro nas bombas, ainda que os preços tenham descido esta segunda-feira menos do que era esperado.

O Governo estava a contar com uma descida de 17 cêntimos e 13 cêntimos no preço do litro do gasóleo e da gasolina, respetivamente, tal como também tinha adiantado fonte do setor ao ECO na passada na sexta-feira, mas a atualização do preçário no início desta semana trouxe descidas de apenas 13 cêntimos e 10 cêntimos.

Fonte oficial da petrolífera nacional refere agora ao ECO que “repercutiu integralmente a diferença entre as cotações médias do gasóleo e da gasolina da semana passada face às da semana anterior, como faz todas as semanas, tanto em períodos de subida como de descida das cotações”.

Para calcular os preços dos combustíveis nos postos de abastecimento em Portugal, a Galp assume as médias semanais com base no fecho das cotações Platts à sexta-feira, em euros, e acresce o sobrecusto da incorporação obrigatória de biodiesel.

Apesar da descida dos preços ter ficado aquém do esperado pelo Executivo, a petrolífera garante que não está a ganhar mais com isso nos postos de abastecimento, assegurando que a sua margem de lucro não aumentou com a atualização do preçário dos combustíveis esta semana.

A medida que o Governo desenhou para fazer face ao aumento dos preços dos combustíveis, que corta no ISP o montante extra arrecadado com o IVA, exige cálculos todas as semanas, tendo por base os preços na segunda-feira seguinte. Com a descida nos preços dos combustíveis, a fórmula ditava que a consequente redução da receita de IVA devia dar lugar a um aumento do ISP, para assegurar a neutralidade fiscal. No entanto, o Executivo acabou por decidir não subir o ISP.

Esta segunda-feira, o gasóleo simples em Portugal Continental custava, em média, 1,847 euros por litro, menos 13 cêntimos do que preço médio da semana passada, segundo os preços médios diários apurados pela Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG). Já o preço da gasolina fixava-se nos 1,927 euros por litro, 10 cêntimos abaixo do valor registado na semana anterior.

Apesar de serem quedas menos expressivas do que o esperado, facto é que interromperam a subida de 15 semanas consecutivas dos preços da gasolina e de 12 semanas dos preços do gasóleo, que vinham a castigar as famílias e empresas portuguesas.

Entretanto, o preço do petróleo negociado nos mercados internacionais voltou a avançar para um patamar mais elevado, com o barril de Brent a atingir os 118 dólares na manhã desta terça-feira, perante a possibilidade de a União Europeia proibir as importações do “ouro negro” russo.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Galp diz que baixou “integralmente” preço dos combustíveis e que margem de lucro não subiu

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião