Corretagem e mediação de seguros impulsionam M&A ibéricas no 1ºT

  • ECO Seguros
  • 12 Maio 2022

Entre operações de consolidação ibérica na corretagem e distribuição, destacam-se transações MDS-Segurtime, Liberty Seguros-Bankinter, MedVida-CNP Partners e a da americana Acrisure com a Summa.

Companhias portuguesas e internacionais, sobretudo a área de corretagem e distribuição de seguros, destacaram-se na Europa durante o primeiro trimestre de 2022 em movimentos de consolidação da indústria seguradora.

Embora assinalando ligeiro abrandamento no volume de M&A (fusões e aquisições) face ao 1ºT de 2021 (106 operações contra 117), o número de transações cresceu em comparação com o trimestre precedente (4ºT 2022), sendo que o total de operações é notoriamente superior à do 1º trimestre de 2020 (76 transações), quando a pandemia global começou, explica análise da FTI Consulting, companhia que presta serviços de aconselhamento na gestão de risco organizacional, regulatório, operacional, transacional e reputacional.

De acordo com o barómetro europeu divulgado pela FTI Consulting (“European Insurance M&A Barometer- Q1 2022”), no período de janeiro a março (106 operações), o volume superou os 101 negócios do último trimestre de 2021, comprovando “continuação de forte apetite e atividade de fusões e aquisições em todo o mercado europeu de seguros”. A compra de pequenas empresas como parte de estratégias de consolidação constituíram a maioria das transações no continente.

Acompanhando a atividade de fusões e aquisições, a consultora realça que Reino Unido e a Irlanda continuaram a liderar o mercado europeu de fusões e aquisições no setor dos seguros, enquanto o mercado ibérico, Itália e os países escandinavos registaram “um pico na atividade de M&A no trimestre, alimentado pela consolidação dos corretores”.

A região ibérica (Espanha e Portugal), com oito operações de consolidação na indústria seguradora (sete das quais protagonizadas por entidades de corretagem e serviços), mostrou primeiro trimestre mais forte este ano (comparativamente com uma operação no 1ºT de 2021 e três no 1ºT 2020. Além de outras operações de menor dimensão ou potencial, a análise destaca a transação MDS-Segurtime, parceria Liberty Seguros-Bankinter, a operação MedVida-CNP Partners e a da norte-americana Acrisure com corretora espanhola Summa.

Realizada fora da península ibérica, os números da Europa incluem ainda, a transação GamaLife-Grupo Zurich, marcando a entrada da seguradora portuguesa do ramo Vida no mercado italiano.

O barómetro da FT Consulting admite ainda que o abrandamento de transações relativamente ao início de 2021 se relacione com volatilidade geral do mercado e pressão nas condições de financiamento em resultado da crise provocada pelo ataque militar da Rússia à Ucrânia.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Corretagem e mediação de seguros impulsionam M&A ibéricas no 1ºT

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião