Pilotos rejeitam proposta da TAP para novo acordo de empresa

Assembleia de Empresa rejeitou o texto negociado entre o sindicato e administração da transportadora aérea. TAP ofereceu um corte menor do salário em troca de menos folgas e mais flexibilidade.

Os pilotos rejeitaram as condições laborais propostas pela TAP para substituir o atual Acordo de Emergência por um novo Acordo de Empresa para vigorar após 2024. O texto, negociado pelo Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) com a administração, não teve a luz verde da Assembleia de Empresa realizada esta sexta-feira.

“Os pilotos consideram que a Proposta agora apresentada constitui, uma vez mais, um ataque feroz aos pilotos TAP, tendo sido rejeitada, após votação, com 98,87% de votos contra dos quase 900 pilotos participantes na Assembleia de Empresa”, informa o SPAC em comunicado.

O Acordo de Emergência negociado em 2021 com os pilotos, e que implicou um corte salarial que começou nos 50% no primeiro ano, termina no final de 2024, ano em que regressam as condições do Acordo de Empresa, já sem cortes. A TAP pretende desde já negociar uma nova proposta, oferecendo em troca um corte menor nos salários.

Segundo noticiou a agência Lusa, a transportadora aérea propôs passar a redução salarial em vigor este ano de 45% para 25%, igualando-a à maioria dos restantes trabalhadores da empresa. Em contrapartida, pretende uma diminuição das folgas e uma flexibilidade nos horários dos pilotos.

No comunicado, o SPAC assinala que “os pilotos teriam de ceder folgas em meses críticos, trabalho suplementar pago em condições muitíssimo inferiores às de 2019, reduzir o descanso subsequente a voos altamente disruptivos, de longo curso, e aumentar a flexibilidade operacional, entre outras”.

“A TAP propõe ainda a redução do número de dias de folga após voos de longo curso, voos esses tipicamente realizados total ou parcialmente durante a noite e cruzando múltiplos fusos horários, provocando disrupção nos ritmos biológicos e fadiga crónica”, acrescenta.

“Desta clara contradição, e pela ofensa à dignidade coletiva, os pilotos rejeitaram por quase unanimidade a Proposta, e não pretendem realizar trabalho em dias de folga ou férias enquanto a TAP mantiver as contradições existentes”, afirma a estrutura sindical.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Pilotos rejeitam proposta da TAP para novo acordo de empresa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião