Aliança quer entrar no top 5 das seguradoras em Angola

  • ECO Seguros
  • 22 Maio 2022

A seguradora angolana está a aproveitar a retoma económica do país e quer continuar a crescer em volume de prémios e rentabilidade. Solvabilidade passou de 64% para 300% em dois anos.

A companhia angolana Aliança Seguros cresceu 70% em volume de prémios no exercício de 2021, chegando aos 27, 3 milhões de euros. A companhia explica que mesmo “tendo em conta a desvalorização do kwanza e os fortes investimentos no exercício”, o EBITDA cresceu 14%, para 3,9 milhões de euros, com o volume de negócios a situar-se nos 26,6 milhões e os resultados líquidos a fixarem-se em 3,4 milhões de euros.

Marco Aurélio Mendes, administrador executivo da Aliança Seguros, “ganhámos novos e importantes contratos estando a companhia presente nos mais relevantes setores de atividade como em Oil & Gas, Geologia e Minas, Construção, Aviação e Indústria”.

A margem de solvência da empresa, que mede a capacidade da companhia em fazer face aos compromissos e riscos fixou-se nos 300%, quase o triplo da verificada em 2020 (122%) e 4,6 vezes maior do que em 2019 (64%).

A seguradora refere cresceu em todos os canais de distribuição, em direto, bancassurance, mediadores e corretores. A aposta no digital e o outsourcing do contact center, acrescenta a Aliança, “permitiram uma disponibilidade até às 23h59, sete dias por semana, o que impactou muito positivamente o volume de prémios”.

Este investimento enquadra-se “na atualização do posicionamento da Aliança Seguros, com o foco de todas as suas iniciativas no cliente e ter as suas necessidades como centro do seu negócio”, afirma Marco Aurélio Mendes, administrador executivo da companhia.

Marco Aurélio Mendes considera que o exercício de 2021 se caracterizou por alguma retoma económica nos mais diversos setores, o que influenciou a performance da Aliança Seguros. Esta envolvente permitiu “ganhar novos e importantes contratos e consolidar a sua posição comercial, estando a companhia presente nos mais relevantes setores de atividade” como em Oil & Gas, Geologia e Minas, Construção, Aviação e Indústria, afirma o administrador.

A Aliança Seguros, que no final de 2021 era a sexta do ranking nacional, “aposta no futuro próximo em integrar o top 5 das seguradoras angolanas, objetivo que se alicerça no esforço de estruturação fortemente desenvolvido em 2021 e que se mostra cada vez mais tangível”, refere a companhia. Depois de uma aposta na formação intensiva da sua equipa e na criação de um call center, investiu num novo software, orçado em mais de meio milhão de dólares.

Segundo a companhia a estratégia para o exercício de 2022 tem, assim, como objetivo consolidar o crescimento sustentável e rentável da seguradora.

Ainda no quadro do desenvolvimento da companhia, Marco Aurélio Mendes destaca os desafios com que a empresa e o setor se deparam, nomeadamente “a alteração da envolvente, com um ambiente de negócios em mudança, cada vez mais tecnológico e competitivo, legislação cada vez mais exigente, um regulador mais ativo, a nova lei da actividade seguradora e resseguradora, a aposta no setor energético e a retoma das operações petrolíferas, bem como o regresso dos operadores de petróleo e o desenvolvimento do negócio do LNG”, conclui.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Aliança quer entrar no top 5 das seguradoras em Angola

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião