Lucros da Semapa crescem 65% no primeiro trimestre para 42 milhões

Conglomerado português melhorou resultados até março por conta da subida do índice de preços de papel na Europa, que beneficiaram a Navigator.

A melhoria dos resultados da Navigator impulsionou os lucros da “patroa” Semapa. Os lucros do conglomerado industrial português cresceram 65,3% no primeiro trimestre, para 42 milhões de euros, por conta da subida do índice dos preços de papel na Europa. O grupo liderado por Ricardo Pires assume que está a tomar medidas para evitar a escalada de custos, segundo comunicado divulgado junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários nesta sexta-feira.

“O crescimento dos preços da pasta, o aumento generalizado da energia, matérias‐primas e logística, e ainda o desequilíbrio entre a oferta e a procura, tiveram como consequência um forte crescimento do índice de preços do
papel na Europa no 1º trimestre de 2022, o que impulsionou o crescimento do volume de negócios da Navigator”, assim refere o documento.

No primeiro trimestre, a Navigator registou lucros de 50,6 milhões de euros, mais do que duplicando os ganhos registados no mesmo período de 2021.

No negócio do cimento, os lucros da Secil diminuíram 19,7%, para 7,5 milhões de euros, por causa dos “efeitos negativos provocados pelo aumento dos custos de produção, sobretudo energéticos, em consequência da forte subida do preço dos combustíveis e da tendência inflacionista verificada genericamente em todas as economias, como resultado da crise sanitária global e mais recentemente da guerra da Ucrânia.

A área de negócios de ambiente teve lucros de 2,4 milhões de euros, mais 17,6% face a igual período de 2021.

A dívida líquida do grupo Semapa baixou para 953 milhões de euros no final de março, menos 62,6 milhões de euros do que no final de 2021.

Contenção de custos

O grupo português assume ainda que está a promover medidas para enfrentar o agravamento de preços de fatores de produção devido às sanções impostas à Rússia na sequência da guerra da Ucrânia e das medidas de combate à covid-19 implementadas na China.

O conglomerado refere-se a um “forte empenho no aumento de eficiência, potenciando a produtividade, moderando o aumento dos custos variáveis via contenção de consumos específicos, e com um esforço continuado de controlo dos custos fixos”.

No caso da Navigator, a Semapa diz que “existe um grande nível de incerteza associada às operações (dificuldades logísticas na expedição e no abastecimento de matérias‐primas)” apesar dos “níveis elevados de encomendas”.

Ricardo Pires como líder efetivo

A Semapa comunicou ainda que Ricardo Pires tornou-se o novo presidente executivo do grupo, após decisão da assembleia-geral. Desde janeiro como líder interino – após a saída de João Castello Branco -, Ricardo Pires já era um dos administradores do grupo, com o pelouro de novos negócios.

Em outro comunicado ao mercado, a empresa informou que os dividendos de 36,86 cêntimos (líquidos) serão pagos a partir do próximo dia 9 de junho.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lucros da Semapa crescem 65% no primeiro trimestre para 42 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião