Grupo Fidelidade cresceu negócio em 38% e lucros atingiram 270 milhões

  • ECO Seguros
  • 31 Maio 2022

O ano de 2021 foi de duplicação de vendas de seguros financeiros e de resultados positivos dos investimentos de uma carteira que atingiu 18,1 mil milhões de euros. Negócio internacional foi 20%.

O Grupo Fidelidade registou em 2021 um crescimento global dos prémios em 38% para 4,9 mil milhões de euros, e uma melhoria do resultado líquido para 270 milhões de euros, um acréscimo de 21,6% face a 2020. O ramo Vida Financeiro cresceu em 107% e o negócio internacional em cerca de 20%, este último proveniente de operações espalhadas por 12 países de quatro continentes.

Jorge Magalhães Correia, Chairman e o CEO Rogério Campos Henriques: “Pela primeira vez na história ultrapassámos a barreira dos mil milhões de euros de prémios gerados fora de Portugal”.

“A nossa estratégia de internacionalização, fortemente impulsionada nos anos mais recentes, tem-se revelado acertada”, afirmam Jorge Magalhães Correia, Chairman e o CEO Rogério Campos Henriques na mensagem do Conselho de Administração publicado no Relatório e Contas de 2021. Acrescentam que “pela primeira vez na história ultrapassámos a barreira dos mil milhões de euros de prémios gerados fora de Portugal, com a grande maioria das operações internacionais a apresentarem crescimento sustentado, sendo de destacar a evolução da subsidiária no Chile, uma operação green field que conseguiu aumentar o seu volume de negócios de 32,4 milhões de euros em 2020 para 61,6 milhões de euros em 2021, um salto extraordinário e revelador da capacidade de inovação e crescimento num mercado muito competitivo”.

Os factos mais relevantes na apresentação das contas de 2021 pelo grupo são:

  • Manteve a sua a posição de líder no mercado português, registando uma quota de mercado global de 29,1%, que correspondeu a um aumento de 1,9% face ao período homólogo, muito impulsionada pela performance registada no ramo Vida;
  • O segmento Vida, foi fortemente influenciado pelo comportamento dos produtos financeiros, pelo que o Grupo Fidelidade conseguiu reforçar a sua quota de mercado nesse ramo em +3,8 % face ao período homólogo;
  • A reestruturação da linha de negócio Vida Financeiro, resultou no aumento da quota de mercado nos produtos unit-link de 20,1% em 2020 para 27,3% em 2021;
  • O volume consolidado de prémios emitidos no valor total de 4.911,6 milhões de euros, tendo registado um aumento global de 38% na sua atividade influenciado principalmente pelo ramo Vida em Portugal;
  • O rácio combinado piorou, registando um aumento, em valores consolidados, de 89,9% em 2020 para 93,4% em 2021;
  • A retoma de alguma normalidade na atividade económica com reflexo generalizado nas taxas de sinistralidade, tendo tido um impacto no resultado técnico que este ano reduziu 70% para 45,3 milhões de euros, quando em 2020 foi 150,7 milhões;
  • O resultado de investimento verificou um aumento de 66,4% atingindo 330,4 milhões de euros, influenciado pela realização de mais-valias em investimentos, quer em ativos financeiros, quer imobiliários;
  • A evolução favorável do resultado de investimento mais do que compensou a redução do resultado técnico, permitindo que o resultado líquido tenha atingindo um aumento de 47,9 milhões de euros face ao resultado de 2020, para 270,2 milhões de euros;
  • De referir, ainda, que no final de 2021 o Grupo Fidelidade contava com 18,1 biliões de euros em ativos sob gestão, um acréscimo de 3,6% face a 2020 refletindo, sobretudo, o efeito da emissão de dívida subordinada, tendo as provisões técnicas registado um aumento de 0,3% face a 2020;
  • O capital próprio ascendeu a 3.054,7 milhões de euros, tendo o retorno médio sobre o capital acionista sido de 8,8%.

Mais de metade dos colaboradores estão fora de Portugal

No final de 2021, o número total de colaboradores na área seguradora do Grupo Fidelidade atingiu 7.771, representando um aumento de 12,3% face ao ano anterior. Destes 3.436 são de Portugal e 4.335 de empresas internacionais.

Deu-se um aumento de 850 colaboradores, dos quais 94 colaboradores em Portugal (sobretudo ligado ao reforço de funções relacionadas com Digitalização, Analytics e Transformação) e 756 colaboradores nas operações internacionais, refletindo, em grande medida, aquisição da SIM e a expansão da rede comercial em Angola.

A Fidelidade tem o apoio de 3.682 agentes na comercialização dos seus produtos, é líder neste canal em Portugal, com 26% de quota de mercado.

O canal internet e atendimento telefónico teve desenvolvimentos em contexto de pandemia. O Grupo Fidelidade lidera o canal remoto com mais de 42% de quota de mercado.

O número de corretores ascendeu a 65 em 2021, tendo a produção captada correspondido a 38% do total de prémios com origem neste canal no mercado português.

O Grupo tem 59 agências dispersas por Portugal, liderando também neste canal com 44% de quota de mercado.

A Fidelidade, tendo como distribuidores a CGD, o Banco CTT e o EUROBIC, conta com 900 balcões bancários na comercialização dos seus produtos. A sua quota de mercado em Bancassurance foi de 24%.

As empresas atuais

A Fidelidade – Companhia de Seguros, S.A, cabeça do grupo, é detida em 84,99% pelo Grupo Fosun, através da Longrun Portugal, SGPS e em 15% pela Caixa Geral de Depósitos.

O Grupo Fidelidade opera no mercado nacional de seguros através de cinco companhias: Fidelidade, Multicare, Fidelidade Assistência, Via Directa (Ok! Teleseguros) e Companhia Portuguesa de Resseguro.

No mercado internacional atua através de sucursais – em Espanha, França, Luxemburgo e Moçambique – e através de empresas subsidiárias – Fidelidade Angola (70% do capital), Garantia Cabo Verde (55,9%), Fidelidade Macau (100%), 51% da La Positiva (Perú), Alianza (Bolívia) e Alianza Garantia (Paraguai), 99,3% da Fid Chile e 70% da moçambicana SIM.

Detém subsidiárias e participações estratégicas em empresas de prestação de serviços complementares aos seguros como o Grupo Luz Saúde (50,8% do capital), 75% da gestora britânica de ativos Tenax Capital e 100% da Clínica Fisiátrica das Antas, EAPS (medicina no trabalho) CETRA (reparação auto), Cares (reparação de imóveis), Fidelidade Property (imobiliária) e da gestora de ativos Fidelidade SGOIC.

Foi consolidada a Fidelidade Inovação, S.A. (FID I&D) no seu posicionamento enquanto sociedade constituída para otimizar a prossecução de projetos de investigação, desenvolvimento experimental e inovação (I&D+I), atuando como incubadora de soluções inovadoras digitais no seio do Grupo Fidelidade. A FID I&D obteve o estatuto de entidade idónea, por parte da Agência Nacional de Inovação, nas seguintes áreas de atuação: ciber-segurança, Internet das Coisas; Novas formas de comunicação; TIC aplicadas à Saúde e TIC para Acesso aberto ao conhecimento.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Grupo Fidelidade cresceu negócio em 38% e lucros atingiram 270 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião