Capgemini “estaciona” Mobility Lab em Gaia com 350 empregos

Multinacional abre centro de I&D com vista para o Douro para tornar Portugal "referência mundial na condução autónoma segura e transporte sustentável”. Avança investimento de 50 milhões na Route 25.

Está instalado em Vila Nova de Gaia, chama-se Mobility Lab e é o mais recente laboratório de investigação e desenvolvimento (I&D) da gigante tecnológica Capgemini. Dedicado à estratégia de mobilidade sustentável e inteligente, este novo centro de engenharia arranca com uma equipa de mais de 350 profissionais e conta chegar a um total de 700 novos empregos até 2025.

Fornecedora de soluções de software para clientes internacionais como a BMW, Volkswagen, Renault, Bosch, Continental ou Panasonic Automotive, o grupo de origem francesa avança com este novo investimento, que não quis contabilizar, para “alavancar a posição de Portugal no topo da cadeia de valor da mobilidade sustentável e transformar o país numa referência na condução autónoma segura e do transporte sustentável à escala mundial”.

Fonte oficial indicou ao ECO que nesta escolha do distrito do Porto (onde já tinha escritórios) para instalar este primeiro hub de mobilidade da Capgemini em Portugal, também considerou “a presença de várias universidades na periferia – Aveiro, Braga, Porto – e o forte talento na região”. “A aposta nesta zona foi natural”, acrescentou. A empresa calcula que esta área de negócio para a indústria automóvel em Portugal gera um volume de negócios anual superior a 25 milhões de euros e tem um potencial de crescimento de 20% ao ano.

“O Mobility Lab surge no âmbito da revolução que a indústria automóvel está a viver desde o início deste século com a explosão das tecnologias móveis, o crescimento da conectividade e a emergência das novas tecnologias como a inteligência artificial e a Internet das Coisas (IoT), bem como o surgimento dos smart cars. Este novo centro reforça o compromisso da Capgemini Portugal com o desenvolvimento das competências da sua equipa portuguesa na área do software para a indústria automóvel”, sublinhou Bruno Coelho, membro do comité executivo e responsável pela área de I&D da Capgemini Engineering.

Situado na Rua de Serpa Pinto 44, mesmo em frente ao rio Douro, no espaço inaugurado esta terça-feira vão ser testadas novas soluções em ambiente de I&D, que depois podem ser aplicadas a projetos concretos. Entre essas aplicações de software para a indústria automóvel que estão a ser desenvolvidas destacam-se, por exemplo, soluções de condução autónoma, de conectividade e ligação à cloud, ou de verificação e validação automáticas com recurso a inteligência artificial.

Este novo centro reforça o compromisso da Capgemini Portugal com o desenvolvimento das competências da sua equipa portuguesa na área do software para a indústria automóvel.

Bruno Coelho

Membro do comité executivo da Capgemini Engineering

Este projeto, sublinhou Bruno Coelho, “vem reforçar o trabalho que [tem] vindo a desenvolver nos últimos anos para apoiar os clientes da área automóvel na sua transformação digital através da criação de software para veículos e cloud, acompanhando todo o ciclo de desenvolvimento das soluções, que se inicia com a definição dos requisitos e da arquitetura e que se estende até aos processos de validação dos sistemas”.

Além da estrutura agora reforçada no Porto, a Capgemini tem escritórios em Lisboa – onde tem uma área dedicada às tecnologias Quantum –, em Évora e no Fundão, em que explora o 5G Lab. Através da submarca Capgemini Engineering, o grupo fundado há 55 anos, que faturou 18 mil milhões de euros em 2021 e que emprega mais de 325 mil pessoas em 50 países, já abriu o processo de recrutamento em Portugal para captar mais 200 profissionais altamente qualificados para reforçar esta equipa dedicada ao setor automóvel.

Investimento de 50 milhões na Route 25

Por outro lado, no âmbito de uma iniciativa apoiada por fundos do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), a Capgemini viu recentemente aprovado o projeto Route 25, em que assume funções de coordenação e liderança. Representa um investimento de 50 milhões de euros e a criação de mais 1.000 novos postos de trabalho em Portugal.

Nas métricas inscritas na candidatura, adianta a fornecedora de serviços de consultoria, tecnologia e outsourcing, está previsto que este projeto venha a gerar um volume de negócios de mais de 100 milhões de euros. E envolve o desenvolvimento e lançamento de mais de 50 novos produtos, processos e serviços que deverão contribuir para reduzir em 85% as emissões de CO2 e para diminuir o número de acidentes em 30%.

Ainda segundo a informação partilhada esta manhã pelo grupo de origem francesa, com sede em Paris, o Route 25 vai “contribuir para (…) posicionar Portugal como um país de referência na condução autónoma segura, nomeadamente no que diz respeito ao desenvolvimento de tecnologias de transporte sustentáveis alinhadas com a estratégia europeia CCAM – Cooperative, connected and automated mobility.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Capgemini “estaciona” Mobility Lab em Gaia com 350 empregos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião