Bondalti saúda “passo importante” de Bruxelas para a produção de hidrogénio em Estarreja

  • Lusa
  • 21 Setembro 2022

A notificação por parte da Comissão Europeia "representa o reconhecimento da validade e competência do projeto liderado pela Bondalti na cadeia do hidrogénio", diz a empresa.

A Bondalti considerou esta quarta-feira que a atribuição por Bruxelas do estatuto de Interesse Europeu Comum ao projeto para a produção de hidrogénio no Complexo Químico de Estarreja é “um passo importante para a concretização do H2Enable”.

Esta notificação por parte da Comissão Europeia representa o reconhecimento da validade e competência do projeto liderado pela Bondalti na cadeia do hidrogénio, assim como do seu caráter estratégico para as metas de descarbonização definidas por Portugal e Europa até 2050. Com esta validação da União Europeia, é dado um passo importante para a concretização do H2Enable”, afirmou o presidente do Conselho de Administração da Bondalti, João de Mello.

A Comissão Europeia aprovou esta quarta um projeto de 5,2 mil milhões de euros para construção de infraestruturas para o hidrogénio ou para a sua integração em processos industriais, envolvendo Portugal e outros 12 países da União Europeia (UE). Em comunicado divulgado, o executivo comunitário indica que aprovou, “ao abrigo das regras da UE em matéria de auxílios estatais, um […] projeto importante de interesse europeu comum para apoiar a investigação e a inovação, assim como a primeira implantação industrial e a construção de infraestruturas relevantes na cadeia de valor do hidrogénio”, considerando que a iniciativa está “em conformidade” com as normas comunitárias.

Denominado IPCEI Hy2Use, o projeto envolve então Portugal, mas também Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Itália, Países Baixos, Polónia e Suécia. No caso de Portugal, está em causa a construção de infraestruturas para o hidrogénio, que ficará a cargo do grupo português no setor da indústria química Bondalti, denominado H2Enable, e também integrado nas agendas mobilizadoras do PRR (Programa de Recuperação e Resiliência) com um investimento estimado de 142 milhões de euros até 2026.

O projeto, liderado pela Bondalti, inclui outros parceiros, como a Air Liquide, Faculdade de Engenharia do Porto, APQuímica e HyLab, e consiste na construção de uma infraestrutura para a produção de hidrogénio verde no Complexo Químico de Estarreja. Em comunicado, a Bondalti adianta que “o projeto visa principalmente a descarbonização das operações da Bondalti, nomeadamente na produção de Anilina, em linha com as metas da companhia de alcançar a neutralidade carbónica e utilizar energia com origem 100% renovável até 2030”.

O H2Enable permitirá igualmente a produção para venda direta no mercado, nomeadamente através da injeção na rede nacional de gás natural e no setor da mobilidade, contribuindo para o posicionamento competitivo de Portugal nas energias verdes e alinhado com os objetivos da Comissão Europeia do RePowerEU, acrescenta.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Bondalti saúda “passo importante” de Bruxelas para a produção de hidrogénio em Estarreja

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião