Infrações de trânsito devido ausência de seguro aumentaram cerca de 19%

  • Lusa e Francisca Pinto Goncalves
  • 26 Novembro 2023

A Guarda Nacional Republicana (GNR) detetou mais de 7 mil infrações de trânsito, 236 por falta de seguro de responsabilidade civil na semana passada.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) detetou mais de 7 mil infrações de trânsito, 236 por falta de seguro de responsabilidade civil na semana passada, avançou no sábado passado a agência Lusa.

O último balanço da atividade operacional semanal da GNR, entre 17 e 23 deste mês, divulgado em comunicado, contabiliza, em todo o território nacional, operações de prevenção e combate à criminalidade e à sinistralidade rodoviária, bem como fiscalização de diversas matérias de âmbito contraordenacional.

A GNR registou, neste período, 542 detidos em flagrante delito: 245 por condução sob o efeito do álcool, 139 por condução sem habilitação legal, 25 por furto e roubo, 20 por tráfico de estupefacientes, 13 por violência doméstica, 10 por posse ilegal de armas e arma proibida e um por incêndio florestal.

Apreendeu ainda 14,75 doses de cocaína, 12,9 doses de heroína, 848,18 doses de haxixe, 109,772 doses de liamba, 23 pés de canábis, um comprimido de anfetaminas, 20 armas de fogo, 22 armas brancas ou proibidas, 381 munições de diversos calibres, 34 explosivos, 18 veículos, uma embarcação, 177 artigos contrafeitos e 1.248,84 euros em numerário.

No trânsito, detetou 7.256 infrações, destacando-se 1.245 por excesso de velocidade, 732 por falta de inspeção periódica obrigatória, 501 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei e 337 relacionadas com anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização.

Registou ainda 266 infrações por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças, 244 por uso do telemóvel durante a condução, 236 por falta de seguro de responsabilidade civil e 151 relacionadas com tacógrafos.

Fiscalização e infrações rodoviárias aumentaram este ano

Nos primeiros sete meses do ano foram fiscalizados 81,5 milhões de veículos presencialmente e através de meios automáticos, mais 12,6% em relação ao mesmo período de 2022, e detetadas 694.000 infrações, revelou a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

Nas infrações, verificou-se um aumento semelhante (12,2%), de acordo com o relatório de sinistralidade rodoviária publicado ‘online’.

A grande maioria (67%) deveu-se a excesso de velocidade (+21,6%): “Verificaram-se aumentos em quase todas as tipologias de infrações, destacando-se, para além do excesso de velocidade, as relativas ao sistema de retenção para crianças (+40,0%) e à ausência de seguro (+19,4%), entre outras”, lê-se no documento.

Relativamente à condução sob o efeito do álcool, entre janeiro e julho de 2023 foram testados 1,12 milhões de condutores, o que representa um aumento de 29,3% comparativamente a igual período de 2022.

A criminalidade rodoviária, medida em número total de detenções, aumentou 12,2% comparativamente a 2022, atingindo 21,2 mil condutores. Do total, 55,4% deveu-se à condução sob o efeito do álcool (+12,9%), seguindo-se 35% por falta de habilitação legal para conduzir (+17,4%).

Desde a entrada em vigor do sistema de carta por pontos em junho de 2016, o número de condutores que perderam pontos na carta de condução foi de 618,8 mil até final de julho de 2023.

Desde junho de 2016, 2.666 condutores perderam a carta (por cassação), de acordo com a mesma fonte.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Infrações de trânsito devido ausência de seguro aumentaram cerca de 19%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião