João Mendonça: Howden quer adquirir corretoras em Portugal

A 16ª maior corretora do mundo vai crescer em Portugal a partir de Espanha. O diretor geral explica os contornos da grande aposta no mercado nacional. Aquisições e parcerias estão no topo da agenda.

João Portugal Mendonça: “Operamos na maioria dos aspetos como uma sociedade portuguesa, com equipa, clientes e parceiros portugueses e prevemos em breve a passagem a uma sociedade de direito português”.

A Howden é uma corretora global, posiciona-se em 16º lugar do ranking mundial, obteve em 2020 receitas de 777 milhões de libras. A operação em Portugal nasceu há 5 anos tendo sido instalada a partir de Espanha por Américo Oliveira, um histórico dos seguros que se mantém ligado à Howden como consultor e advisor. João Mendonça, economista com formação complementar em marketing, é diretor geral para Portugal desde setembro do ano passado e tem ideias claras para o crescimento do negócio da Howden em Portugal. Foi entrevistado por ECOseguros.

O que é a Howden à escala global?

É uma empresa com base no Reino Unido, o seu nome vem de David Howden, fundador e Presidente. O grupo, além da Corretagem de Seguro e Resseguro em regime de wholesale e retail, tem 3 pilares adicionais: A rede internacional (Howden One) que assegura a presença do grupo nos países em que não temos operações próprias, a Dual, que é a maior Agência de Subscrição do Mundo e a HX, que consiste no nosso “braço” de data & analytics, muito vocacionada para apoiar todo o tipo de modelação estatística.

A operação portuguesa é realizada a partir de Espanha. Qual é a presença efetiva em Portugal neste momento?

A Howden tem o seu escritório em Lisboa, desde setembro de 2016 – estamos a comemorar nesta data os 5 anos da instalação. Iniciámos a operação através da constituição de uma Sucursal da Howden Iberia, contudo na prática operamos na maioria dos aspetos como uma sociedade portuguesa, com equipa, clientes e parceiros portugueses. E prevemos em breve a passagem a uma sociedade de direito português.

Que áreas e riscos preferem?

A base de instalação está consolidada, com uma pequena equipa (somos 10) e um volume de negócio ainda reduzido mas muito centrado em riscos complexos onde o know how é determinante. São áreas como o M&A (fusões & aquisições) , Cyber, Soluções Financeiras Estruturadas. O nosso projeto, com a minha entrada na empresa, passa por escalar a operação, e posicionar a Howden em Portugal num patamar equivalente ao que já existe em Espanha e, por inerência, dada a dimensão relativa, que já existe em toda a Península Ibérica.

Escalar é crescer, quais são os planos para Portugal?

Os vetores de crescimento passam por explorar o crescimento orgânico através de parcerias com corretores e agentes em que possamos aportar know how especializado sobretudo em ramos ou setores com riscos complexos (temos já parcerias com alguns operadores relevantes do mercado). Explorar as nossas capacidades no resseguro e agir junto de clientes com riscos complexos também são caminhos. E por aquisição…

Estão interessados em aquisições em Portugal?

Sim, mas estamos a olhar com interesse para operações em que a nossa incorporação gere externalidades importantes – não procuramos aquisições apenas olhando ao volume de negócio.

As principais seguradoras com que trabalhamos são as seguradoras Portuguesas e as seguradoras estrangeiras instaladas em Portugal. Ao nível do resseguro e do mercado de “specialty” já não diria o mesmo

Qual o atual volume de negócios obtido em Portugal?

Apesar da operação contribuir com negócios colocados localmente, e com negócios através da sede do Grupo, em Londres e em Madrid, o volume de negócios ainda é reduzido face que procuramos. Somos o 4º Broker na Península Iberica e continuamos com ambição… Em Portugal, visto isoladamente, estamos a trabalhar para atingir uma representatividade semelhante.

Com que seguradoras trabalham? Só espanholas ou também portuguesas?

Estamos totalmente em Portugal. As principais seguradoras com que trabalhamos são as seguradoras Portuguesas e as seguradoras estrangeiras instaladas em Portugal. Ao nível do resseguro e do mercado de “specialty” já não diria o mesmo, dada a reduzida expressão do nosso mercado em termos de oferta.

Qual o peso do resseguro na atividade da empresa?

É grande, e vem por inerência à tipologia de negócio por onde começamos: a distribuição de produtos através de parceiros inclui outros brokers e agentes, mas também seguradoras. Neste caso, em operações spot de resseguro facultativo – para a cobertura à seguradora de uma operação específica e individualizada – ou no apoio à gestão de tratados de resseguro. Diria que ainda cabem na definição desta área de atividade, já que maioritariamente se dirigem a seguradoras, o desenvolvimento de soluções de Capital Relief (melhoria de níveis de solvência) e de preparação de Rating. Esta área é maioritariamente desenvolvida pela HX, que é a empresa dentro do grupo que nos apoia no desenvolvimento de soluções baseadas em Data & Analytics.

Não fazemos parcerias de forma massiva: só as fazemos – entregando um compromisso e envolvendo ativamente a nossa equipa – se tivermos completa reciprocidade. É assim que deve ser sempre

Estão interessados em parcerias com outros operadores do mercado? De que tipo? Que negócios podem ser interessantes em parceria?

Temos interesse em parcerias, já o fazemos em Portugal, com assinalável sucesso e procuramos mais. Mas como sempre, não o fazemos de forma massiva: só fazemos parcerias – em que entregamos um compromisso, e envolvemos ativamente a nossa equipa – se tivermos completa reciprocidade. É assim que deve ser sempre.

Que tipo de parceiros e parcerias interessam?

Para nós é interessante a criação de um produto customizado, para posterior distribuição pelo nosso parceiro – lá está: nós damos a componente técnica de produto, o parceiro dá a distribuição e gestão. Também é interessante participarmos na construção de soluções para clientes dos nossos parceiros – podem ser riscos específicos, como seguros de Responsabilidades, Retirada, Cyber, Cauções, Propriedade Intelectual, Reputação… a lista não termina…

Porta muito aberta a parceiros, portanto…

Do volume de negócios do Grupo Howden, que é próximo de 1 bilião de euros, cerca de 25% é realizado nos Estados Unidos… integralmente através de parceiros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

João Mendonça: Howden quer adquirir corretoras em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião