“O Estado português não anda a subsidiar empresas”premium

Pedro Nuno Santos rejeita a tese de que o Governo está a subsidiar a TAP. Quem tem de provar que há uma alternativa melhor é quem está a dizer que havia [alternativa], afirma.

O ministro das Infraestruturas defende a injeção de fundos na TAP e desafia os críticos a dizerem onde investiriam os 3,2 mil milhões de euros. " Quer que o Estado pegue em 3,2 mil milhões de euros e invista numa fábrica de baterias, por exemplo?", questiona. O custo de oportunidade era o prejuízo tremendo para a economia portuguesa, acrescenta Pedro Nuno Santos, nesta entrevista em que detalha os pormenores do acordo com Bruxelas. O plano de reestruturação da TAP custará 3,2 mil milhões de euros aos portugueses. É irrelevante discutir se os fundos que vão para a TAP poderiam ser usados noutras áreas? Não, não é irrelevante, mas tem de ser feito pelas duas partes. Eu estudei economia, eu também sei. Quando perguntaram aos autores desse post longo [o livro Milhões a Voar] qual é a

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos