A Europa, os fundos, o digital e o ambientepremium

A Europa continua a ser o nosso melhor aliado. A resposta só nós a podemos dar, mas só a daremos com uma mudança substancial de mentalidades, comportamentos e acções.

Não é possível continuar a escamotear a realidade: a Europa, no que concerne a integração europeia – a União Europeia – vive momentos de enorme complexidade. Momentos que colocam em risco a organização e as suas instituições. O que hoje pretendo é discernir no processo alguma racionalidade e sentido de propósito. E, já agora, alternativas. Partirei de algumas perguntas simples para tentar chegar a respostas, necessariamente mais complexas. Perguntas como “ ainda faz sentido a integração europeia?”. E “como compatibilizar o processo de transformação europeu com os princípios fundadores da União?”. E, ainda, “ se tiver de ser outra coisa, o quê? Um passo em frente, em direção ao federalismo? A reafirmação das soberanias nacionais? Ou uma nova realidade por enquanto indiscernível?”.

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos