Construtoras chamam desempregados da pandemia para as obraspremium

Imunes à pandemia, construção e imobiliário lutam por mão-de-obra, contrariar a subida dos preços e manter a pressão na bazuca. Acompanhe a rubrica do ECO que está a "sentir o pulso" a vários setores.

Como evoluem a capacidade produtiva, o emprego, as vendas ou as finanças das empresas? Como está a recuperar o setor do impacto da pandemia e quais os maiores desafios que enfrenta neste novo ciclo? Aproveitando o dobrar do ano no calendário, o ECO está a “medir o pulso à economia real”, analisando o passado recente, diagnosticando a situação presente e antecipando as perspetivas futuras em algumas das principais áreas de atividade da economia portuguesa.Dos 316.715 desempregados inscritos nos centros de emprego em outubro de 2021, 29.585 eram oriundos da fileira da construção e do imobiliário, igualando o número que se verificava antes da eclosão do surto pandémico. Com o INE a confirmar que o número de empregados se manteve praticamente inalterado neste período marcado pela Covid-19,

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos