Estado pode comprar sede da Caixa ou trocá-la por imóveis públicospremium

António Costa quer Governo num único edifício e negoceia sede da Caixa Geral de Depósitos. Edifício foi inaugurado há 30 anos, mas nunca foi consensual. Obras custaram mais de 40 milhões de contos.

Há 40 anos, a Caixa Geral de Depósitos(CGD) comprava as instalações da Companhia das Fábricas de Cerâmica Lusitânia no Campo Pequeno, em Lisboa, por 820 mil contos (mais de quatro milhões de euros, sem contar com inflação), para aí instalar a sua nova casa. Objetivo: concentrar todos os departamentos e serviços que estavam então espalhados pela capital. “O presidente [Alberto Oliveira Pinto] veio ao meu gabinete perguntar se o Governo tinha alguma objeção. Já tinha tudo pronto para avançar com as obras. Imediatamente respondi que não havia nenhuma objeção. A economia estava a precisar de um relançamento, depois da intervenção do FMI, e grandes investimentos como o projeto da sede da Caixa eram bem-vindos”, lembra Miguel Cadilhe,então ministro das Finanças do Governo de Cavaco Silva.

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos