Estes são os 11 estádios onde vai rolar a bola do Euro 2020

Rola finalmente a bola na Europa do futebol. Durante um mês, 11 estádios do Velho Continente vão receber as melhores seleções europeias. Veja aqui o guia dos palcos do Euro 2020.

A UEFA pretendia que o Euro 2020, que vem com um ano de atraso, ficasse para a história ao organizar uma competição “espalhada” por vários países em vez de, como vem sendo hábito, concentrar a competição num ou dois países organizadores.

Se o objetivo já era aliciante, a pandemia acabou por tornar a organização do Europeu de Futebol ainda mais desafiante. Toda a conjuntura pandémica que abala o mundo há cerca de ano e meio obrigou à tomada de medidas sanitárias muito bem calculadas de modo a garantir que a competição não potencie o agravamento da pandemia na Europa.

O adiamento forçado para este ano permitiu que os jogos tivessem público a assistir, embora com taxas de ocupação bastante reduzidas, algo impensável em 2020 em pleno pico do surto pandémico. A entrada dos espetadores nos 11 estádios da competição será feita em slots espaçados por trinta minutos para evitar ajuntamentos na entrada e promover o distanciamento social. Não haverá bilhetes físicos nem dinheiro nas transações dentro dos recintos.

Estes são os 11 palcos onde vai rolar a bola entre 11 de junho e 11 de julho.

Johan Cruijff Arena, Amesterdão

Capacidade: 55.500 espetadores

Este é o “palco” dos jogos do Ajax, principal clube de futebol de Amesterdão. Inaugurado em 1996 sob o nome de Amsterdam Arena, o recinto passou a chamar-se Johan Cruijff Arena em 2018, em homenagem ao futebolista holandês Johan Cruijff, lenda do clube falecida em março de 2016. Foi neste estádio que o Benfica perdeu a final da Liga Europa frente ao Chelsea em 2013, por 2-1.

O recinto vai receber quatro jogos do Euro 2020 (3 jogos do grupo C e 1 jogo dos oitavos-de-final) com uma capacidade de ocupação limitada a 33% do estádio, o que equivale a cerca de 16 mil pessoas. Quem assistir ao vivo aos jogos na Johan Cruijff Arena tem de apresentar um comprovativo de teste PCR ao Covid-19 negativo.

EPA/PIETER STAM DE JONGE

Estádio Olímpico de Baku, Azerbaijão

Capacidade: 69.870 espetadores

Este é o maior estádio do país, com capacidade para mais de 69 mil pessoas. Aqui joga habitualmente a seleção de futebol do Azerbaijão e o Qarabağ FK, equipa da liga de futebol azeri, que usa o estádio nos jogos das competições da UEFA. Inaugurado em 2015, o recinto vai receber quatro jogos do Euro 2020 (3 jogos do grupo A e um jogo dos quartos-de-final). Segundo a UEFA, a lotação do estádio vai estar limitada a 31 mil espetadores.

EPA/ZURAB KURTSIKIDZE

National Arena, Bucareste

Capacidade: 55.634 espetadores

Inaugurada em 2011, a National Arena é a “casa” partilhada de dois clubes da capital romena: o Dínamo de Bucareste e o FCSB. O recinto, que tem uma cobertura retrátil capaz de ser aberta ou fechada em 15 minutos, vai receber quatro jogos do Euro 2020 (3 jogos do grupo C e 1 jogo dos oitavos-de-final).

Neste estádio só se vai poder entrar com uma pulseira, que é dada depois de prova de vacinação completa ou teste PCR ao Covid-19 negativo. A capacidade da National Arena vai estar limitada a cerca de 25% da lotação.

EPA/ROBERT GHEMENT

Puskás Arena, Budapeste

Capacidade: 67.215 espetadores

É neste estádio que a seleção portuguesa vai jogar dois jogos do grupo F. No dia 15 de junho defronta a Hungria e no dia 23 de junho mede forças com a França, atual campeão do mundo em título. Sendo um dos estádios mais recentes a acolher o Euro 2020, o recinto foi batizado com o nome de um dos melhores avançados de sempre do futebol europeu e lenda nacional húngara: Ferenc Puskás.

Neste estádio só entram adeptos com uma pulseira, obtida depois de prova de vacinação completa ou teste PCR ao Covid-19 negativo. Como parte do procedimento de entrada no estádio, todos os espetadores terão de fazer uma medição da temperatura. Quem tiver uma temperatura corporal de 37,8 °C ou superior não poderá assistir ao jogo.

A Puskás Arena será o recinto do Euro 2020 com maior assistência. Segundo as determinações da UEFA e das autoridades locais, cerca de 60 mil pessoas vão poder assistir ao vivo aos jogos.

EPA/Laszlo Balogh

Parken Stadium, Copenhaga

Capacidade: 38.065 espetadores

O Parken Stadium, “casa” do FC Copenhaga e da seleção dinamarquesa, abriu portas em 1992, tendo recebido obras de renovação em 2001 e 2009. O Parken vai receber quatro jogos do Euro 2020 (3 jogos do grupo B e 1 jogo dos oitavos-de-final). Também aqui só vão entrar espetadores com prova de vacinação completa, teste PCR ao Covid-19 negativo ou ainda prova de infeção prévia. A lotação estará limitada a 15.900 adeptos.

EPA/MADS CLAUS RASMUSSEN

Hampden Park, Glasgow

Capacidade: 51.866 espetadores

O Hampden Park é um estádio histórico e a sua história começa em…1903. Há mais de um século, a “casa” do Queen’s Park F.C. era um dos maiores estádios do mundo com uma capacidade superior a 100 mil pessoas, capacidade essa que foi aumentada para 150 mil na década de 30. Segundo alguns registos, o Hampden tem o recorde de assistência num jogo entre seleções. Em 1937, num clássico entre a Escócia e a Inglaterra, estiveram presentes 149.415 espetadores. Consta que cerca de 20 mil entraram sem bilhete naquele jogo.

Hoje, quase 100 anos depois, a história é outra. Depois de sucessivas obras de renovação e redução da lotação do recinto por razões de segurança, o estádio que normalmente acolhe os jogos da seleção escocesa tem uma capacidade para 51.866 espetadores. No Euro 2020 a lotação vai estar reduzida a 25%.

Ao contrário de outros recintos, não será necessário apresentar prova de vacinação completa ou teste PCR ao Covid-19 negativo. O Hampden Park será o “palco” de quatro jogos da competição, (3 jogos do grupo D e 1 jogo dos oitavos-de-final).

EPA/MARK RUNNACLES

Wembley, Londres

Capacidade: 90.000 espetadores

As duas equipas que jogarem neste estádio no dia 11 de julho estarão na partida decisiva do Euro 2020. É neste estádio que se vai decidir quem é o próximo campeão europeu de seleções. O recinto foi construído no mesmo local do histórico e original estádio de Wembley e é uma verdadeira atração turística para os amantes de futebol e não só. O arco com mais de 130 metros de altura e mais de 300 metros de diâmetro é hoje um marco arquitetónico da cidade de Londres.

Inaugurado em 2007, este é um dos estádios mais famosos do mundo e a sua história (juntamente com a do estádio original) marca a história do futebol propriamente dita. Aqui são jogadas as fases finais de várias competições inglesas e da UEFA. É também neste estádio que a seleção inglesa joga habitualmente.

O Wembley vai receber oito jogos do Euro 2020 (3 jogos do grupo D, 2 jogos dos oitavos-de-final, 2 jogos das semifinais e a final). Numa fase inicial, a lotação do estádio vai estar limitada a 22.500 espetadores nos dois primeiros jogos, podendo vir a ser alterada de acordo com evolução da crise pandémica no Reino Unido.

EPA/ANDY RAIN

Football Arena, Munique

Capacidade: 75.024 espetadores

O Football Arena é mais conhecido como Allianz Arena, depois de a multinacional alemã ter adquirido os naming rights do estádio do Bayern de Munique por um período de 30 anos. Contudo, devido a uma forte política restritiva da UEFA que não permite o uso de marcas que não patrocinem diretamente as suas competições, a denominação do estádio é temporariamente assumida como Football Arena.

É neste estádio que Portugal vai defrontar a Alemanha no dia 19 de junho, numa partida a contar para o grupo F. Quem se deslocar ao estádio terá de usar obrigatoriamente uma máscara de proteção FFP-2 para assistir aos jogos. A lotação do recinto estará limitada a 14.500 espetadores.

EPA/LUKAS BARTH-TUTTAS

Stadio Olimpico, Roma

Capacidade: 72.698 espetadores

Mais um estádio histórico a receber o Euro 2020: o Olímpico de Roma. “Casa” da Roma e da Lazio há mais de meio século, o recinto abriu portas em 1953, passando depois por fases de remodelação, ampliação e cobertura das bancadas. Em 1990, recebeu a final do campeonato do mundo, organizado pela Itália, entre a Alemanha e a Argentina. Os alemães venceram por 1-0.

O Stadio Olimpico serve de palco da final da Coppa Italia. No Euro 2020 vai receber quatro partidas da competição (3 jogos do grupo A e 1 jogo dos quartos-de-final). A lotação estará limitada a 25% da capacidade e será obrigatório apresentar prova de vacinação completa, teste PCR ao Covid-19 negativo ou prova de infeção prévia.

EPA/ETTORE FERRARI

La Cartuja, Sevilha

Capacidade: 60.000 espetadores

Este é o sexto maior estádio em Espanha e abriu as suas portas em 1999 para acolher as provas do Campeonato Mundial de Atletismo. Poucos anos mais tarde, em 2003, recebeu a final de uma competição europeia de futebol de boa memória para os adeptos portugueses. Foi neste estádio que o FC Porto, na altura treinado por José Mourinho, derrotou o Celtic por 3-2 (após prolongamento) na final da Taça UEFA.

O La Cartuja acabou por entrar nos planos da UEFA e, consequentemente, na rota do Euro 2020 apenas em abril de 2021, substituindo o estádio San Mamés, em Bilbao. Na origem da decisão estará o facto de as autoridades da região basca não garantirem a presença de público no estádio que serve de “casa” ao Athletic Bilbao. Contudo, a reação não foi pacífica, levando as autoridades locais a contestarem a decisão da UEFA, que consideraram “unilateral”.

No La Cartuja vão disputar-se quatro jogos (3 jogos do grupo E e 1 jogo dos oitavos-de-final). Quem tiver bilhete para assistir aos jogos tem de ter a APP Radar Covid instalada no telemóvel e uma pulseira que pode ser obtida depois de teste PCR ao Covid-19 negativo. Até ao momento, ainda não se sabe a percentagem de espetadores permitidos no recinto.

EPA/Raul Caro

Saint Petersburg Stadium, São Petersburgo

Capacidade: 67.800 espetadores

Um estádio, três nomes. Krestovsky Stadium, Gazprom Arena ou Saint Petersburg Stadium. Nas competições da UEFA assume este último, já que à semelhança do que acontece em Munique, não são permitidas referências a outras marcas que não patrocinem o evento. Logo, Gazprom Arena fica temporariamente sem efeito.

Inaugurado em 2017 a tempo de receber a Taça das Confederações e o Mundial de 2018, é aqui que o FC Zenit disputa os jogos caseiros, naquele que é um dos estádios mais modernos do mundo, com cobertura e relvado (sim, o relvado) retráteis.

À semelhança do La Cartuja, também este recinto entrou “à última da hora” nos planos da UEFA, depois de Dublin retirar o estádio Aviva da competição devido à crise pandémica no país. Assim, São Petersburgo vai receber um total de sete jogos do Euro 2020 (3 jogos do grupo B, 3 jogos do grupo E e 1 jogo dos quartos-de-final).

Quem entrar no estádio tem de ter um FanID obrigatório pedido pelas autoridades russas e registo de temperatura à entrada. Segundo a UEFA e as autoridades locais, só será autorizada 50% da capacidade da lotação, o que equivale a pouco mais de 30 mil espetadores por jogo.

EPA/ANATOLY MALTSEV

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Estes são os 11 estádios onde vai rolar a bola do Euro 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião