Mapa interativo: Veja os preços das casas por cidade, freguesia e rua

As casas ficaram 9,4% mais caras no segundo trimestre, mas houve zonas do país onde os aumentos foram mais acentuados. E na sua rua? Este mapa dá a resposta.

Os preços das casas continuam a subir, mas já se nota um abrandamento e a pandemia veio acentuar ainda mais essa tendência. No segundo trimestre, o aumento foi de 9,4% a nível nacional, mas numa análise mais fina observa-se que a subida foi mais acentuada em certas zonas. Lisboa continua a ser a zona mais cara para comprar casa, mas a evolução dos preços ficou abaixo da média do país. Houve até freguesias onde os preços desceram. Já no Porto, a subida dos preços foi superior à observada em Lisboa e também no país.

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), publicados esta quinta-feira, enquanto em Lisboa os preços subiram 6,2%, no Porto aumentaram 11,6%. Mas houve ainda vários municípios cujos preços superaram os 1.087 euros por metro quadrado da média nacional.

Estes e outros dados podem ser consultados através do mapa interativo do INE, que permite auferir tanto o valor do metro quadrado das habitações por freguesia, por quarteirão, e até mesmo a que valor foram vendidas as casas durante o segundo trimestre — comparando-o com a média da freguesia –, mas apenas para as cidades com mais de 100.000 habitantes: Amadora, Braga, Coimbra, Funchal, Lisboa, Porto e Vila Nova de Gaia.

Se não conseguir visualizar o mapa corretamente, clique aqui.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mapa interativo: Veja os preços das casas por cidade, freguesia e rua

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião