As empresas portuguesas estão a ficar mais competitivas?premium

Um artigo da revista de Estudos do Banco de Portugal, as empresas portuguesas apresentam uma débil capacidade competitiva quando comparadas com Espanha, França, Itália e Bélgica.

Na semana passada foi aquianalisada a competitividade da economia portuguesa desde 1995 numa perspectiva agregada ou macroeconómica e com base num artigo do último número da Revista de Estudos do Banco de Portugal. Esta semana analiso o segundo artigo da mesma revista ( Uma análise da competitividade das empresas em Portugal e em alguns países europeus), que incide sobre a competitividade das empresas portuguesas entre 2008 e 2018 e se baseia também num indicador compósito, mas agora resultante da agregação de seis dimensões: retorno; custos de produção; produtividade; acesso a recursos; risco; orientação para a qualidade. Este segundo artigo baseia-se em dados de empresas (com 10 ou mais trabalhadores, excluindo por isso microempresas), o que é uma vantagem uma vez que são estas, e não

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos