Editorial

Costa aos ‘papéis’ nas pensões, aeroporto no final de 2023 e outras pontas soltaspremium

António Costa enreda-se em explicações contraditórias sobre as pensões. Não há cortes, mas é preciso travar futuros aumentos. Uma entrevista com todas as perguntas e sem nenhuma resposta. 

António Costa puxa por uma capa que tinha ao seu lado, tira umas quantas páginas do discurso feito no dia do anúncio do plano de apoio as famílias e repete o que tinha dito sobre a política de pensões. Já tinha "ameaçado" mostrar o discurso, e depois, visivelmente incomodado, cumpriu. " Obriga-me a ir... porque temos de ser rigorosos... Gosto de ser rigoroso e aquilo que eu disse, expressamente, foi que todos os pensionistas... tá aqui", e logo acena com duas ou três folhas, que leu de seguida, de forma atrapalhada. Na entrevista à TVI, António Costa andou literalmente aos 'papéis' no tema das pensões -- percebeu isso mesmo e quis acabar a entrevista a jurar que não faz truques --, atirou uma decisão sobre o novo aeroporto para final de 2023 (!?), manteve uma ambiguidade e incerteza

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos