Em 2022, essencialmente na mesmapremium

Vamos permanecer na cepa torta. Um bocado melhor nas estatísticas oficiais, mas sem impacto relevante na vida da generalidade das pessoas.

Vamos viver melhor em 2022? Em face dos fundos europeus que aí vêm, sim, residualmente melhor em 2022. Mas a diferença face a 2021 será muito diminuta e quase imperceptível. Segundo as projecções colhidas pelo Conselho de Finanças Públicas, as remunerações médias dos empregados deverão crescer entre 2% e 4% em 2022, porém, a inflação também crescerá 1% a 2%. A melhoria de poder de compra será quase nula e incidirá sobre uma base salarial que, ela própria, é baixa. Dito de outro modo, vamos permanecer na cepa torta. Um bocado melhor nas estatísticas oficiais, mas sem impacto relevante na vida da generalidade das pessoas. O país está estagnado e está envelhecido. Entre 2008 e 2021, medido a preços constantes, o PIB per capita em Portugal cresceu apenas 3% (fonte: Ameco). A performance

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos