Editorial

Empresários de todo o país, uni-vospremium

O PIB registou uma variação negativa de 0,2%, por causa do abrandamento do consumo e do investimento. Será mesmo o aumento de impostos sobre os lucros a resposta adequada? Não.

Os portugueses não convivem bem com os lucros das empresas, não é de hoje, algumas das razões podem ter justificações históricas, mas a pandemia e agora a invasão da Ucrânia e o choque de preços criaram as condições para um ataque generalizado, seja no discurso político ou nos comentários das redes sociais, aos resultados positivos das empresas. Como se o país estivesse melhor se as empresas tivessem prejuízo. É um caminho perigoso. Nas últimas duas semanas, sucederam-se, como sempre acontece, as apresentações de resultados das empresas cotadas relativamente ao primeiro semestre do ano. E felizmente, os lucros estão a aumentar face a um anterior que foi ainda marcado pela pandemia, a rentabilidade dos capitais próprios está por isso a subir (embora ainda limitada por comparação com outros

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos