Não foi o trabalho que mudou. Fomos nóspremium

Se todos os dias ouvimos falar da crescente necessidade de flexibilidade, falar de fluidez de carreira e de rotina traz um novo significado ao trabalho.

Há dois anos que ouvimos falar mais assiduamente do "futuro do trabalho", da forma profunda como o trabalho mudou, de como a tecnologia tem invadido as nossas tarefas mais rotineiras -- e a nossa vida --, da forma como todas as tendências do trabalho e da forma como trabalhamos se aceleraram com a pandemia, e de como, de um dia para o outro, o trabalho se desmaterializou e abriu, de forma global, o mercado. Falar na terceira pessoa destes fenómenos tão estruturais na nossa vida permite-nos uma distância de segurança do papel de agentes dessa mudança. Os gestores tiveram de adaptar a sua liderança a uma realidade agora virtual, os colaboradores tiveram de aprender a trabalhar de forma mais eficiente e documentar todos os passos para dar conta das progressões aos colegas. O trabalho remoto,

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos