No Facebook as mentiras são bem vindaspremium

O Facebook decidiu que o discurso político não está sujeito a verificação, abrindo caminho à legitimação da mentira como arma política de referência.

Depois de ter dado a entender que poderia vir a proibir anúncios políticos, o Facebook confirmou esta semana que se vai manter aberto a receber propaganda política. Mais: essa propaganda será a única área a estar livre de verificação factual, o que equivale a um convite à mentira e à manipulação por parte dos políticos devidamente identificados como tal. Para Mark Zuckerberg e restante liderança do Facebook, um político não só tem o direito de mentir como essa mentira deve ser promovida e levada aos cantos mais recônditos da internet, para chegar a tantos eleitores quanto for possível. O argumento que serve como desculpa é que devem ser os eleitores a decidir se querem confiar num candidato ou noutro, o que é obviamente mais difícil de fazer se não se sabe quem está a mentir sobre que

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos