Cultura

Com esta alteração, os fundos comunitários passam a poder pagar a aquisição de serviços, deslocação e estadia de artistas e técnicos, transporte de obras de arte, direitos de autor e direitos conexos.

Portugal é dos países da UE que menos investe em cultura (0,6%) ficando mesmo abaixo da média europeia que é de 1% do PIB, contrariamente à Letónia que é o país que mais investe nesta área.