BPI fecha mais 25 balcões por todo o país

  • Lusa
  • 30 Setembro 2016

Os trabalhadores dos balcões encerrados estão a ser transferidos para outras agências nas proximidades.

O BPI fecha hoje mais 25 agências, que se somam às 27 encerradas no primeiro semestre em Portugal, continuando o emagrecimento de estrutura que tem sido comum ao setor bancário e que é acompanhado pela saída de trabalhadores.

Dos 25 balcões do BPI que a partir de hoje são encerrados, nove estão localizados na região Centro (Fornos de Algodres, Vila Nova Tazém, Arganil, Tábua, Miranda do Corvo, Óbidos, Torres Vedras – Sul, Cadaval, Torres Novas – Santa Maria) e dois na Madeira (Funchal – Ajuda e Funchal – Largo da Igrejinha). Já na zona Norte fecham mais oito agências (Viana do Castelo – Darque, Braga – Maximinos, Ronfe, Maia – zona industrial, Vila Boa do Bispo, Pinhão, Lourosa – Vendas Novas e Cucujães) e na zona Sul outras seis (Carcavelos, Álvares Cabral, Vale de Milhaços, Atalaia, Santo André e Faro – Montenegro), segundo a informação a que a Lusa teve acesso. Os trabalhadores destes balcões estão a ser transferidos para outros balcões nas proximidades.

Com estes encerramentos, e tendo em conta os valores de final de junho, o banco fica agora com uma rede com 533 unidades de contacto com os clientes, entre balcões, centros de investimento e centros de empresa.

O emagrecimento das estruturas tem sido comum aos principais bancos que operam em Portugal, numa tentativa de melhorarem os seus resultados, que têm sido muito negativos. A par do fecho dos balcões, a banca também tem reduzido o número de trabalhadores.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BPI fecha mais 25 balcões por todo o país

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião