Voos diretos para a China arrancam em junho de 2017

Vão ser feitos três a quatro voos por semana para a China. Os voos serão operados pela Hainan Airlines, do grupo chinês HNA, que quer entrar no capital da TAP.

Está quase decidido: a ligação aérea direta entre Portugal e China deverá arrancar em junho de 2017. O anúncio foi feito, esta terça-feira, pelo Turismo de Portugal, que assinou um protocolo com o HNA, grupo chinês que detém a Hainan Airlines e quer ficar indiretamente com 10% a 13% do capital da TAP, através do consórcio Atlantic Gateway, que ganhou o processo de privatização da companhia aérea portuguesa.

O acordo vem confirmar as declarações de David Neeleman, o empresário que, a par de Humberto Pedrosa, está à frente do consórcio Atlantic Gateway. No final de setembro, durante a III Cimeira do Turismo, o empresário já tinha dito que os primeiros voos diretos da TAP para a China deveriam começar antes do verão do próximo ano.

A ligação direta (feita entre Hangzhou, Pequim e Lisboa) é resultado de uma parceria entre três entidades: o Turismo de Portugal, a ANA Aeroportos e a Associação de Turismo de Lisboa. No comunicado enviado esta tarde às redações, o Turismo de Portugal detalha que a ligação prevê que os voos da China para Portugal tenham uma frequência de três a quatro vezes por semana, número que vai ao encontro do que David Neeleman já tinha revelado.

Os voos serão operados pela Hainan Airlines, diz ao ECO fonte do Turismo de Portugal.

“Inicialmente falámos com os nossos acionistas chineses, a HNA, sobre a possibilidade de fazer dois voos. Mas, depois, fomos à China e eles disseram que podíamos fazer quatro voos semanais e, portanto, vamos fazer quatro voos para Pequim já no ano que vem e acredito que seja possível antes do verão”, disse Neeleman, durante a cimeira.

“Esta ligação direta é estratégica para o desenvolvimento do setor do turismo em Portugal, uma vez que garante a competitividade aérea do destino, junto deste que é um dos principais mercados emissores mundial de turistas”, refere agora Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, citado no comunicado.

Além da ligação aérea, o protocolo implica o “estabelecimento de relações fortes e coesas com o trade e a presença consistente nos principais canais digitais”, adianta o Turismo de Portugal.

A propósito da aposta nos canais digitais, foi lançada a página visitportugal no Wechat, a rede social mais popular da China, com mais de 700 milhões de utilizadores ativos por mês. Para além do Wechat, o Turismo de Portugal já apresenta a opção em mandarim no site visitportugal e está presente com uma página do Webo (o Facebook chinês). Está ainda a ser desenvolvida uma página visitportugal no Alitrip (o maior site de e-commerce da China) que deverá estar online no final de outubro.

O anúncio surge numa altura em o primeiro-ministro, António Costa, se encontra na China, com a missão de atrair mais capital chinês para Portugal. Um dos objetivos passa por captar turistas chineses para Portugal.

(Notícia atualizada pela última vez às 17h27)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Voos diretos para a China arrancam em junho de 2017

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião