Fatura de Trump em Lisboa? Mil milhões

Donald Trump está a provocar perdas nos mercados mundiais. A Europa está em queda, sendo Lisboa um dos mercados acionistas mais castigados.

Donald Trump está a agitar os mercados. Muitos investidores estão a fugir dos ativos de risco, ditando quedas acentuadas nos mercados acionistas. As bolsas europeias estão a registar perdas acentuadas, com a praça nacional a pagar uma das maiores faturas. As cotadas estão a perder mil milhões de euros.

O PSI-20 chegou a perder 3,03%, mas já aliviou de parte das quedas. O sinal continua, no entanto, vermelho, com o índice de referência do mercado português a apresentar uma desvalorização de 1,99% para 4.471,53 pontos — é, a par da bolsa espanhola, o que mais cai entre as bolsas do Velho Continente.

Esta queda, reflexo da fuga dos investidores ao risco, ganha maior expressão em valor. E a fatura está a ser pesada. O valor total das cotadas presentes no índice de referência está a encolher 1.008 milhões de euros, de acordo com os cálculos do ECO com base nos dados da Bloomberg. A capitalização bolsista das 18 cotadas do PSI-20 está em 50.160 milhões de euros.

A EDP e a EDP Renováveis estão a ser as mais castigadas pelos investidores, perdendo em conjunto cerca de 600 milhões de euros. Registam quedas de 2,94% e 5,13%, respetivamente, sendo esta descida acentuada reflexo da exposição das empresas ao mercado norte-americano. Os EUA têm um grande peso na energia eólica da EDP Renováveis que é controlada pela EDP.

PSI-20 afunda. Perde mil milhões

psi20-01
Fonte: Bloomberg

Jerónimo Martins e Sonae também estão a dar um grande contributo para a perda de valor do total do mercado nacional. A dona do Pingo Doce cai 1,4% (perde 138 milhões de euros) para cotar nos 15,54 euros, já a Sonae recua 2,65% para 0,70 euros, o equivalente a 38 milhões de euros.

A Nos e a Mota-Engil estão também a perder vários milhões de euros na sessão fruto das quedas de 2,31% e 2,76%, respetivamente. Mas há duas exceções neste movimento negativo: a Galp Energia e o BPI estão com sinal verde. A petrolífera soma 0,04%, animada pela recuperação do petróleo, já o BPI ganha 0,18%, sendo suportado pela OPA do CaixaBank.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fatura de Trump em Lisboa? Mil milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião