Peso mexicano colapsa com eleições nos EUA

É a maior queda desde a chamada crise da Tequilla na década de 90.

O cenário de uma vitória de Donald Trump nas eleições norte-americanas está a provocar um terramoto nas maiores bolsas mundiais que já estão a transacionar.

No mercado cambial, além da desvalorização do dólar, o fator mais relevante tem sido o comportamento do peso mexicano que chegou a afundar 13% para um novo mínimo histórico.

Segundo o Financial Times, é a maior queda diária desde 1994 quando o país chegou a uma situação de quase bancarrota e foi obrigado a desvalorizar a moeda. Na altura da chamada crise da Tequilla, os mexicanos receberam a ajuda dos EUA e do FMI.

Agora, com a possível vitória de Trump, a economia mexicana pode voltar a sofrer um grande abalo. O republicano já disse que queria construir um muro na fronteira com o México, travar a imigração e rever os acordos de livre comércio com vários países.

Segundo o Financial Times, que cita o jornal mexicano Reforma, a ministra dos Negócios Estrangeiros mexicana estava a dirigir-se para uma reunião de emergência no palácio presidencial.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Peso mexicano colapsa com eleições nos EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião