Quem sai a ganhar com Donald Trump?

Votou em Donald Trump ou acredita que ele é favorito a suceder a Obama? Petrolíferas, fast-food, casinos, banca e defesa são setores que podem ganhar com eleição do candidato republicano.

Com o lema de campanha Make America Great Again, o candidato republicano Donald Trump promete voltar atrás com alguma regulação da banca que Barack Obama impôs depois da crise financeira. A ideia é tornar mais fácil o crédito às famílias e às empresas, com o objetivo de fomentar o emprego e a economia. E depois de ter manifestado a sua oposição à subida do salário mínimo, já está mais inclinado à sua atualização (sem referir valores concretos) — algo que retira pressão sobre as contas das companhias de fast food. Tal como Hillary, para Trump o setor da Defesa é uma bandeira.

  • Petrolíferas, mineiras e gás

Exxon Mobil, Chevron ou ConocoPhilips estão entre as cotadas do setor petrolífero que mais podem beneficiar com o apoio de Trump à utilização de combustíveis fósseis como fonte de energia. Mas há outro fator que poderá impulsionar as petrolíferas: a maior clareza em relação à regulação do fracking, ou fratura hidráulica, um método de extração utilizada por companhias de petróleo e gás para aumentar a produção.

  • Fast-food

Se Hillary vencesse, seria o setor mais penalizado pelo aumento do salário mínimo por hora. Assim, com uma vitória de Trump, esta atualização salarial estaria mais longe e “serviria como balão de oxigénio para o setor”. E companhias de fast-food como McDonalds ou Domino’s Pizza poderiam ganhar com isto.

  • Defesa e armamento

Trump é um apoiante do porte de armas. “Além disso, Trump manifestou a sua intenção de reduzir as restrições que o setor enfrenta”, diz a XTB, que usa o lema da campanha do candidato republicano para assumir um maior investimento público no setor da defesa. Neste sentido, vale a pena olhar para cotadas como a Lockheed Marteen e Boeing.

  • Finanças

A reversão da reforma financeira Dodd-Frank, que apertou as regras para a banca norte-americana, é uma das propostas que Trump tem para animar a economia norte-americana. O candidato do lado republicado já disse que a regulação dificulta a tarefa dos bancos de emprestar dinheiro às pessoas para criar emprego e negócios. Menos regulação e mais atividade comercial para a banca poderá animar ações de instituições como JPMorgan Chase ou Goldman Sachs.

  • Casinos

A justificação da XTB para apostar no setor do jogo é simples: “É difícil de imaginar que um empresário que acumulou a maior parte da sua fortuna construindo casinos e hotéis vire agora as costas ao setor através do aumento da regulação”. Assim, sugere a corretora, aposte fichas na Wynn Resorts.

"É difícil de imaginar que um empresário que acumulou a maior parte da sua fortuna construindo casinos e hotéis vire agora as costas ao setor através do aumento da regulação.”

XTB

Eleições nos EUA - Relatório Económico

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quem sai a ganhar com Donald Trump?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião