Vão abrir 30 novos hotéis no próximo ano. Saiba onde

Este será o melhor ano de sempre para a hotelaria e o próximo será ainda melhor, antecipa ao ECO o presidente da Associação da Hotelaria de Portugal.

Este vai ser “o melhor ano de sempre” para a hotelaria e o próximo vai ser ainda melhor. Em 2017, os hoteleiros não só esperam resultados superiores aos de 2016, como vão abrir 30 novos hotéis, segundo os dados avançados ao ECO pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP).

“Um bom ano”. É assim que Raul Martins, presidente da AHP, descreve o ano turístico de 2016. Na verdade não foi só bom, foi “o melhor de sempre”, já que, pela primeira vez, ultrapassaram-se todos os indicadores de 2007, que até agora detinha o título de melhor ano de sempre para a hotelaria.

A ocupação da oferta disponível atingiu uma média nacional de perto de 69% no acumulado de janeiro a agosto e o preço médio subiu para 81,4 euros, números que deixam Raul Martins “satisfeito”.

Não admira, por isso, que o próximo ano seja de novos investimentos. Depois de terem aberto 40 hotéis em 2015 e 26 este ano, vão abrir mais 30 no próximo, segundo os dados recolhidos pelo Gabinete de Estudos e Estatísticas da AHP. Além disso, vão ser remodelados oito hotéis já existentes, depois das nove remodelações feitas este ano.

Porto e Norte é a região em destaque, com 11 novos hotéis nesta região (só na cidade do Porto, serão seis) e quatro remodelações. Segue-se a região de Lisboa, com 10 novos hotéis (nove na cidade de Lisboa) e duas remodelações. O Centro e o Algarve terão ambos três novos hotéis, o Alentejo dois e a Madeira um.

Aberturas e remodelações de hotéis em 2017. Fonte: Gabinete de Estudos da AHP.
Aberturas e remodelações de hotéis em 2017. Fonte: Gabinete de Estudos e Estatísticas da AHP.Telmo Fonseca

Em 2017, o foco vai ser aumentar preços. “Aquilo que vamos dizer aos nossos associados é que o preço tem de ser melhorado, porque temos condições para isso, com aquilo que oferecemos em comparação com outros destinos”, diz Raul Martins.

E os recordes vão voltar a ser batidos. “A nossa expectativa é que 2017 seja melhor do que este ano. Estamos muito focados na média de ocupação do país, até porque, nas regiões principais, a ocupação média andou na ordem dos 75%”, antecipa o presidente da AHP.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vão abrir 30 novos hotéis no próximo ano. Saiba onde

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião