Em atualização Paulo Macedo já fechou equipa executiva da CGD

  • Rita Atalaia
  • 12 Dezembro 2016

Já se sabe quais são os nomes que vão compor a equipa de Paulo Macedo. Confirma-se o regresso de Maria João Carioca e a entrada de José João Guilherme.

Paulo Macedo já fechou a equipa para a Caixa Geral de Depósitos. Já se sabia que Macedo iria substituir António Domingues, mas o resto da equipa ainda estava em aberto. Já são seis os executivos conhecidos (mais o presidente) para fazerem parte da administração do banco público.

O ECO confirmou que, a Paulo Macedo, que vem substituir António Domingues na liderança do banco, junta-se José João Guilherme, antigo administrador do BCP e do Novo Banco. Também fica confirmado que o adjunto do secretário de Estado do Tesouro, Nuno Martins, será administrador do banco público.

As confirmações não ficam por aqui. Maria João Carioca vai mesmo regressar à CGD. A presidente da bolsa portuguesa é outro dos nomes que vai integrar a equipa executiva, mas não só. José Brito também vai fazer fazer parte desta administração. É um quadro da Caixa há muito tempo e é, neste momento, diretor coordenador, responsável pela área financeira e de mercados do banco público.

A estes elementos, também se junta Francisco Cary. Foi quadro do grupo Espírito Santo e administrador do BES Investimento (atualmente conhecido por Haitong Bank). Outro dos nomes confirmado é João Tudela Martins, sendo que já fazia parte da equipa anterior e foi um dos três administradores executivos que não apresentaram a renúncia ao cargo. Os outros são Tiago Ravara Marques e Pedro Leitão, cujo destino ainda não é conhecido.

Agora tudo depende do supervisor europeu. Mas antes o Banco de Portugal terá de fazer uma primeira avaliação às escolhas para o banco público e só depois fazer uma proposta ao Banco Central Europeu. O Jornal de Negócios já tinha avançado que a instituição liderada por Carlos Costa quer agilizar os procedimentos, mas que o calendário final dependerá da data de entrega da lista e do tempo que o supervisor europeu demora a tomar uma decisão final.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Paulo Macedo já fechou equipa executiva da CGD

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião