CGD: Domingues rejeita que saiu da administração zangado com Governo

  • Lusa
  • 16 Dezembro 2016

Nas primeiras declarações desde que abandonou a administração do banco público, António Domingues rejeita que tenha saído zangado.

O presidente demissionário da Caixa Geral de Depósitos (CGD), António Domingues, rejeitou hoje que tenha renunciado à liderança do banco público “zangado” com o Governo.

“Não, por amor de Deus, porque é que haveria de sair zangado?”, questionou António Domingues, em resposta às questões dos jornalistas sobre a sua demissão, à margem da entrega de prémios ‘Exame: 1000 Melhores PME’, em Lisboa.

O presidente demissionário do Conselho de Administração e da Comissão Executiva da CGD recusou fazer mais comentários, referindo que hoje é dia de premiar as Pequenas e Médias Empresas (PME), num evento a decorrer na sede da CGD.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

CGD: Domingues rejeita que saiu da administração zangado com Governo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião