Setor do comércio cria 6,9 mil postos de trabalho

Há mais emprego e mais volume de negócios no setor do comércio. Apesar do comércio por grosso dominar no volume de negócios, é o comércio por retalho quem mais emprega.

O setor do comércio está a recuperar. E isso está a refletir-se no emprego do setor terciário: foram criados mais 6,9 mil empregos. Em 2014 o número de trabalhadores do setor terciário fixou-se nos 725,6 mil (uma descida face ao valor de 2013: 733 mil). 2015 foi um ano de recuperação, apesar de ainda inferior a 2013: o setor do comércio empregou no ano passado 732,5 mil pessoas.

O salto de 6,9 mil em 2015 significa uma recuperação de 1,9%, sendo que em 2014 tinha existido uma diminuição de 0,6%. São boas notícias para o setor do comércio que emprega agora “20,7% dos trabalhadores do setor privado não financeiro”, referem as Estatísticas do Comércio de 2015. “O emprego neste setor recuperou da diminuição de 0,6% em 2014, crescendo 1,9% em 2015 e totalizando 732,5 mil trabalhadores”, revela o destaque do Instituto Nacional de Estatística divulgado esta sexta-feira.

Além da evolução positiva do número de trabalhadores, as próprias remunerações estão a melhorar a um ritmo mais acelerado: em 2014 o ritmo de crescimento era 1,5%, mas esse ritmo mais do que duplicou para os 3,8% em 2015. “As respetivas remunerações aumentaram 3,8% (+1,5% em 2014)”, escreve o INE.

“No que respeita à empregabilidade, o setor do Comércio proporcionou o emprego de 3,32 trabalhadores por empresa (3,24 em 2014), valor ligeiramente superior à globalidade das empresas (3,12 em 2015; 3,06 em 2014)”, revela ainda o destaque.

Esta tendência positiva no emprego do setor acompanha o crescimento do volume de negócios das 220,7 mil empresas que existem no setor. Esse volume de negócios e 2015 aumentou 3%, mais uma vez acima da subida registada em 2014 (2,4%). No total foram 123,2 mil milhões de euros no ano passado. O comércio por grosso é o que tem mais quota (50,3%) de volume de negócios, seguindo-se o retalho e o subsetor automóvel.

No conjunto do setor empresarial não financeiro, o comércio foi responsável por 20,7% do total de postos de trabalho. “O comércio representou, no conjunto do setor empresarial não financeiro, 37,3% do volume de negócios, 19,6% do valor acrescentado bruto e 20,7% do emprego”, explica o INE. A repartição do emprego dos vários subsetores revelam que quem mais emprega é o retalho (57,3% de todo o setor), seguido do comércio por grosso (30,3%) e do subsetor automóvel (12,3%).

Editado por Mónica Silvares

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Setor do comércio cria 6,9 mil postos de trabalho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião