Desigualdade: Espanha quer saber salários de homens e mulheres

  • Leonor Rodrigues
  • 26 Dezembro 2016

Mariano Rajoy quer que as empresas espanholas informem o governo sobre os salários dos seus trabalhadores, distinguindo homens e mulheres. A ideia é a de combater a desigualdade entre géneros.

O governo espanhol está comprometido em reduzir a desigualdade de género nas empresas. Para isso, o executivo de Rajoy está a analisar a implementação de uma medida que obriga as empresas com menos de 50 trabalhadores a informarem o governo sobre os salários dos trabalhadores, distinguindo homens e mulheres.

O governo diz ter “em mente o objetivo de reduzir as disparidades salariais entre homens e mulheres”, embora afirme que “a implementação dos meios necessários devem ser objeto de negociação e debate”, de acordo com o Expansión. A medida surge em resposta à recomendação da Comissão Europeia de março de 2014 sobre o reforço da igualdade na remuneração de homens e mulheres.

Em média, em 2014 os homens espanhóis ganhavam cerca de 25.727 euros e as mulheres 19.744 euros por ano. Espanha é o sexto país com a maior diferença salarial (16,5%) entre os 28 Estados-membros da União Europeia, acima da média da Zona Euro (16,1%).

Por outro lado, apesar de ter maior formação profissional, as mulheres vencem em precariedade em praticamente todos os níveis salariais, principalmente nos níveis inferiores a 30 mil euros anuais. Cerca de dois milhões de mulheres (75%) trabalham a tempo parcial.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Desigualdade: Espanha quer saber salários de homens e mulheres

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião