Portugueses compraram mais automóveis. Mais 15,8%

  • Lusa
  • 2 Janeiro 2017

Foram comercializados mais de 247 mil carros no ano passado, segundo dados da ACAP divulgados esta segunda-feira.

A venda de automóveis aumentou 15,8% em 2016 em relação ao ano anterior, tendo sido comercializados mais de 247 mil carros no ano passado, segundo a Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

De acordo com dados hoje divulgados pela ACAP, este crescimento de 15,8% em 2016 traduz-se numa desaceleração do mercado automóvel face aos dois anos anteriores, uma vez que as vendas de carros subiram 24% em 2015 e 36% em 2014.

Ao todo, foram comercializados em Portugal 247.343 veículos automóveis ligeiros e pesados em 2016, considerando a ACAP que o aumento de 15,8% das vendas “poderá constituir o culminar de um processo de recuperação do mercado após as fortes quebras registadas no período de crise”.

Neste sentido, a ACAP admite que “a retoma gradual do mercado para níveis anteriores à crise poderá estar concluída”, antecipando “taxas de crescimento mais moderadas” do volume de vendas de automóveis, “refletindo a dinâmica da economia e do emprego”.

Por tipos de veículos, em 2016, as vendas de ligeiros de passageiros aumentaram 16,2% (para as 207.345 unidades), as de veículos comerciais ligeiros subiram 13% (34.874 carros) e as de veículos pesados de passageiros e de mercadorias cresceram 19,4% (5.124 unidades).

Considerando apenas o mês de dezembro, verifica-se que foram vendidos 17.003 automóveis ligeiros de passageiros (+29,4%), 4.551 veículos comerciais ligeiros (+22,1%) e 608 pesados (+41,1%).

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugueses compraram mais automóveis. Mais 15,8%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião