Governo vai reforçar serviços consulares no Reino Unido

  • Margarida Peixoto e Lusa
  • 15 Janeiro 2017

Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas garantiu que os serviços jurídicos serão reforçados para apoiar a comunidade portuguesa, que já ronda as 500 mil pessoas.

O Governo vai reforçar os serviços consulares no Reino Unido, sobretudo na área jurídica, para ajudar os portugueses que residem no país a lidar com dificuldades que resultem do Brexit. O anúncio foi feito pelo secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, este sábado, na segunda edição dos “Diálogos com a Comunidade”, na embaixada de Portugal em Londres.

“Os meios do consulado não aumentaram na proporção que aumentou a comunidade”, admitiu, citado pela Lusa. O governante adiantou que é em Londres onde existe maior procura pelos serviços consulares. Em 2016 registaram-se mais de 70 mil atos consulares, quase o dobro dos 40 mil registados no ano anterior. A comunidade portuguesa no Reino Unido deverá já rondar as 500 mil pessoas.

"Os meios do consulado não aumentaram na proporção que aumentou a comunidade.”

José Luís Carneiro

Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas

No evento, foram destacadas as dificuldades sentidas pelos portugueses reclusos e crianças e jovens em risco. Na sala, apresentaram-se várias mulheres que alegaram ter sido vítimas de processos injustos por parte das autoridades britânicas, reivindicando maior apoio das autoridades portuguesas.

O advogado Pedro Proença revelou que a plataforma de Advogados Portugueses Contra as Adoções Forçadas em Inglaterra está envolvida na ajuda a 21 casos e que a sua intervenção já teve resultados positivos na restituição de duas crianças.

Reivindicou, porém, maior ajuda, nomeadamente financeira, para reforçar o apoio jurídico a estas famílias. “Temos mães e pais portugueses que ficam sem os filhos. Esta questão deve ser tratada de forma especial”, denunciou.

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas indicou que, entre 2014 e 2016, foram identificados 154 casos, dos quais 20 resultaram em adoção. José Luís Carneiro exortou às famílias afetadas a informar os serviços consulares logo que possível para ser pedida a transferência do julgamento para Portugal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo vai reforçar serviços consulares no Reino Unido

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião