Depois do Opel Insignia, o Insignia Tourer

Primeiro o carro, agora a carrinha. A Opel reforçou os argumentos do Insignia com a apresentação da Tourer, uma station wagon com um estilo bem mais desportivo, mas também mais premium.

A Opel prossegue a época de revelações de novos modelos. O Insignia, que a marca germânica passou a denominar de Grand Sport, ganhou uma carrinha com um estilo bem mais apelativo do que a anterior geração. Mais comprida e mais baixa, apresenta um look bem mais desportivo, mas sem esquecer a funcionalidade que se exige de uma station wagon.

“Embora o comprimento total tenha crescido ligeiramente face à anterior carrinha, para 4,986 metros, o novo modelo surge com uma aparência bastante mais atlética e ágil”, diz a marca. As vias aumentadas em 11 milímetros, a grelha dianteira proeminente e os faróis estreitos contribuem para esse look da nova carrinha que tem estreia mundial marcada para o dia 7 de março, no Salão de Genebra.

A par das linhas muito atraentes, a Opel Insignia Sports Tourer promete uma “funcionalidade exemplar, com habitáculo e bagageira muito espaçosos, e segurança de elevado nível, honrando os pergaminhos de topo de gama”. A capacidade da bagageira atinge 1.640 litros, representando um acréscimo de 100 litros face ao anterior modelo, podendo ser aberta passando o pé sob o para-choques.

Apesar de estar maior, mas também ter uma maior capacidade, dependendo da motorização e do nível de equipamento, a nova carrinha topo de gama da Opel é até 200 kg mais leve. “Isso deve-se sobretudo ao recurso a materiais especialmente leves”, refere a marca, que irá lançar a Sports Tourer com o 1.6 CDTI de 110 e 136 cv, além do 2.0 de 170 cv. Nos gasolina, haverá um novo 1.5 turbo de 165 cv e um 2.0 que chega aos 400 cv.

Tecnologia para conduzir…

“A Insignia Grand Sport de cinco portas, a tecnologia avançada marca presença através de inúmeros sistemas de conforto e de segurança, que vão da nova geração de faróis IntelliLux de matriz de LED até ao ‘head up display’ de projeção no para-brisas”, refere a Opel. Mas há mais elementos de ajuda à condução:

  • Head-up Display: as informações sobre velocidade, sinais de trânsito, velocidade programada no “cruise control” e indicações de navegação são projetadas no para-brisas, na linha de visão do condutor.
  • Câmara 360º: consiste num conjunto de quatro câmaras, uma em cada lado do automóvel, que faculta visão a 360º para facilitar todas as manobras.
  • Programador de Velocidade Adaptativo: mede a distância para o veículo da frente e ajusta a velocidade em conformidade. O sistema aciona a Travagem Automática de Emergência se a distância diminuir abruptamente.
  • Manutenção de Faixa com Correção Automática de Direção e Alerta de Saída de Faixa: efetua movimentos suaves de correção na direção (e avisa com sinais acústicos, se necessário) quando são detetados desvios de trajetória.
  • Alerta de Tráfego Lateral: recorre a sensores de tipo radar colocados no para-choques traseiro para detetar veículos num ângulo de 90º até uma distância de 20 metros, de ambos os lados. É útil em manobras de saída de lugares de estacionamento com visibilidade limitada.

…mas também para descontrair

“O nosso novo topo de gama disponibiliza alta tecnologia para todos, com sistemas acessíveis que tornam a condução mais segura e mais confortável. Depois, há o espaço interior, que vai ao encontro de praticamente todas as necessidades de transporte, em trabalho ou em lazer”, diz o CEO da Opel, Karl-Thomas Neumann.

São vários os elementos tecnológico disponibilizados para ajudar à condução, mas também há na nova carrinha espaço para os modernos sistemas IntelliLink da Opel, que asseguram infoentretenimento de topo e total conectividade digital graças à integração de “smartphones”. E também tem serviço de assistente pessoal.

“O IntelliLink integra o sistema Opel OnStar que, no caso do novo Insignia, passa a oferecer o serviço adicional de ‘Personal Assistant’, permitindo solicitar ao operador OnStar a marcação de hotéis e ajuda a procurar espaços de estacionamento”, refere a marca.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Depois do Opel Insignia, o Insignia Tourer

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião