Quer ser contratado? Siga os conselhos do Facebook

  • Juliana Nogueira Santos
  • 7 Fevereiro 2017

A responsável de recrutamento da empresa dá algumas dicas para que seja a escolha dos recrutadores por esse mundo fora.

O Facebook é considerada uma das melhores empresas para se trabalhar nos nossos tempos, mas é preciso ter o que é preciso para se entrar na equipa. Em conversa com a Business Insider, a responsável pelo recrutamento da tecnológica Miranda Kalinowski revelou alguns dos segredos que os recrutadores utilizam para escolher os melhores entre os melhores. E o que podemos aprender com isto?

Tenha atenção aos valores

Cada empresa tem a sua missão, visão e valores, por isso é importante que tenha esses em conta e faça tudo para conectar a sua experiência com o que a marca pensa e acredita. No caso do Facebook, a equipa de recrutamento procura tipos de personalidade concretos: “Contratamos construtores”. As pessoas que trabalham na empresa ” (…) adoram criar novas coisas e descobrir como continuar a melhorar a maneira como trabalhamos e os produtos que criamos”, confessa Kalinowski.

Nos escritórios da Facebook podem encontrar-se posters de incentivo. “Somos mágicos terríveis” é um deles.Facebook

Forneça detalhes

Quem está do outro lado da mesa quer respostas concretas e detalhadas, por isso evite ser vago. “O entrevistador vai querer detalhes profundos de uma situação e ouvir o que o candidato fez e disse nesses momentos. Assim é que consegue perceber como a pessoa aborda a resolução de problemas”, afirma Miranda Kalinowski.

Esta aconselha também a preparar certas situações antes de entrar na entrevista, para que seja mais fácil falar sobre isso. A adição de detalhes específicos, bem como transparecer preparação, aumenta a credibilidade e impressiona o entrevistador.

“O que farias se não tivesses medo?” Os empregados da Facebook fizeram questão de deixar alguns apontamentos humorísticos.

Tenha confiança

A confiança é a alma do negócio. Mesmo que as coisas não estejam a resultar, confie em si. “Numa das minhas entrevistas de emprego, dei uma resposta um pouco básica”, conta Kalinowski. “Pedi uns segundos e refiz a resposta. O entrevistador não só me encorajou como também devo ter ganho alguns pontos por ter sido autêntica e ter tido a confiança para fazer tal pedido.”

“Move-te rápido e parte coisas.”

Converse

Se encarar a entrevista como uma conversa, as informações que quer passar fluirão mais facilmente. Não deixando para trás a preparação prévia — que nunca pode ser descurada –, não memorize informação para despejar apenas. Relaxe e responda às perguntas com naturalidade.

Já diziam os Daft Punk…

Seja entusiasta

Pode ser o começo de uma nova fase, por isso mostre entusiasmo e vontade de renovação — são duas características de que todas as empresas precisam. Miranda Kalinowski relembra um caso de um candidato que mostrou um nível tão grande de entusiasmo por poder trabalhar no Facebook que até afirmou que não se importava de trabalhar de graça. Claro que a empresa nunca iria aceitar isto, mas a recrutadora considerou essa possibilidade “um gesto incrível”. Encontre a sua própria maneira de exprimir entusiasmo.

“Feito é melhor que perfeito” pode ler-se numa das paredes.Facebook

Faça o trabalho de casa

Preparação, preparação, preparação. Nunca entre pelas portas de uma empresa sem conhecer bem ao que vai. Abra o site da empresa e leia a história, a missão, os valores. Algumas empresas têm mesmo disponível um site de carreiras onde pode encontrar mais informação útil. E lembre-se, o saber não ocupa lugar.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quer ser contratado? Siga os conselhos do Facebook

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião