Banca afunda antes dos resultados da OPA ao BPI

As quedas do BPI e do BCP arrastaram o PSI-20, que acabou por encerrar a sessão a perder 0,07%.

Imediatamente antes de ser conhecido o resultado da oferta pública de aquisição (OPA) lançada pelo CaixaBank, o BPI fechou a sessão desta quarta-feira a afundar mais de 6%. A queda foi acompanhada pelo BCP, que tombou 7%, na véspera de colocar em negociação mais 14 mil milhões de novas ações.

O resultado da OPA foi anunciado esta tarde na Euronext Lisboa e revelou que o CaixaBank ficou com 84,52% do BPI, o que não permite ao banco catalão avançar com a aquisição potestativa das restantes ações. O banco liderado por Fernando Ulrich vai ficar em bolsa, mas com muito menos liquidez, uma vez que o CaixaBank fica com a quase totalidade dos títulos.

O BPI caiu 6,58%, para 1,05 euros, e o BCP recuou 7,01% para 14,6 cêntimos, acabando por arrastar o PSI-20, que encerrou a sessão a perder 0,07%, para os 4.560,11 pontos.

Fonte: Bloomberg

A impedir maiores quedas esteve o setor energético. A EDP subiu 2,91%, para os 2,76 euros, e a EDP Renováveis avançou 1,55%, para os 6,14 euros. Já a REN somou 2,14%, para os 2,62 euros.

Também a Pharol se destacou pela positiva. A empresa de telecomunicações disparou 9,71%, para os 33,9 cêntimos, numa altura em que a Oi prossegue o seu plano de recuperação perante o interesse de investidores na operadora brasileira.

Notícia atualizada às 16h50 com mais informações.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Banca afunda antes dos resultados da OPA ao BPI

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião