Direto Costa: “O ministro das Finanças não mentiu” na CGD

O primeiro-ministro vai à Assembleia da República no dia em que se ficou a saber que António Domingues tinha um acordo com Centeno para não entregar a declaração de rendimentos no Constitucional.

O Governo vai hoje ao Parlamento para responder às questões dos deputados. O tema do debate, escolhido pelo Governo, foi o Plano Nacional de Reformas, nomeadamente a execução da estratégia de médio prazo. O PNR, apresentado em abril do ano passado, prevê absorver 25 mil milhões de euros até 2020, sendo cerca de metade em fundos comunitários e 6,7 mil milhões de comparticipação nacional. António Costa dará o ponto de partida às 15h.

Esta quarta-feira, o ECO revelou a troca de correspondência entre António Domingues, Mário Centeno e Mourinho Félix, onde o Ministério das Finanças se compromete a criar uma exceção para que nova administração da Caixa Geral de Depósitos não tivesse de entregar a declaração de rendimentos no Tribunal Constitucional. Foi este acordo que permitiu a entrada do gestor no banco público, depois de o Governo ter retirado as instituições financeiras públicas do Estatuto Gestor Público.

Este é o terceiro debate quinzenal de 2017. O primeiro foi a 17 de janeiro com a discussão a ser essencialmente sobre a concertação social e a Taxa Social Única. O segundo foi a 27 de janeiro, já com a redução do Pagamento Especial por Conta aprovada em Conselho de Ministros, altura em que António Costa falou do défice, da execução orçamental e do relatório sobre a precariedade no Estado.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Costa: “O ministro das Finanças não mentiu” na CGD

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião