Carioca sai no Carnaval. Novo CEO entra dia 1

Paulo Rodrigues da Silva assume oficialmente a liderança da bolsa portuguesa no primeiro dia de março, substituindo Maria João Carioca que vai rumar à CGD.

Paulo Rodrigues da Silva já tem data de entrada na bolsa nacional. O novo presidente executivo vai assumir a liderança da Euronext Lisboa a 1 de março. Maria João Carioca cumpre no dia de Carnaval o último dia à frente da praça portuguesa, rumando depois à administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD).

O novo CEO já obteve as aprovações necessárias, ficando apenas a confirmação do nome na assembleia geral da gestora que se realiza na quarta-feira, dia 1 de março. Contactada, fonte oficial da Euronext Lisboa confirmou ao ECO que Paulo Rodrigues da Silva assumirá nesse dia a liderança executiva da bolsa nacional.

Entra Paulo Rodrigues da Silva, sai Maria João Carioca. Na bolsa nacional há menos de um ano, depois de ter saído da administração de José de Matos na CGD, a gestora vai voltar para o banco público depois do convite endereçado por Paulo Macedo, que recentemente assumiu a presidência executiva da CGD, sucedendo a António Domingues.

Maria João Carioca teria de ficar até 6 de março a menos que fosse encontrado um nome para a substituir, algo que acabou por acontecer. Carioca sai com o PSI-20 em crise. Com a exclusão do BPI do índice de referência no seguimento da OPA do CaixaBank, o índice ficou com apenas 17 cotadas. Tem de ter, pelo menos, 18.

Passadas as “pente fino” todas as cotadas nacionais — na revisão anual do índice partem todas as empresas em pé de igualdade, as do índice geral e as do PSI-20 — há duas empresas que se destacam, de acordo com os cálculos do ECO. Por um lado, a Ibersol. Por outro, a Sonae Indústria. São as mais bem posicionadas para uma promoção, embora nem uma nem outra cumpram todos os requisitos, com a empresa do universo Sonae a surgir em melhor posição.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Carioca sai no Carnaval. Novo CEO entra dia 1

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião