Sonaecom aumenta lucros. Dá mais dividendos

  • ECO
  • 13 Março 2017

A Sonaecom fechou o ano com lucros de 48,1 milhões de euros. Os resultados líquidos cresceram, levando a empresa a aumentar os dividendos. Vai entrar metade aos acionistas.

A Sonaecom aumentou os lucros no último ano. Apresentou resultados líquidos de 48,1 milhões de euros, valor suportado em grande parte pela Armilar Venture Funds, três capitais de risco adquiridas ao Novo Banco. Perante o crescimento dos lucros, a empresa liderada por Ângelo Paupério decidiu aumentar os dividendos, propondo-se a distribuir metade dos resultados obtidos.

O resultado líquido atribuível ao grupo fixou-se em 48,1 milhões de euros, que compara com 34,6 milhões de euros obtidos em 2015″, refere a empresa. Ou seja, houve um aumento de 39,1%. Estes lucros “incluem resultados indiretos no montante de 28,5 milhões de euros, relacionados com a aquisição da Armilar Venture Funds”, sendo que sem este efeito o lucro seria de 19,7 milhões.

“A Armilar Venture Funds são três fundos de capital de risco nos quais a Sonae IM detém unidades de participação adquiridas ao Novo Banco”, refere a empresa.

O EBITDA consolidado cifrou-se em 17,9 milhões de euros, encolhendo 16,6% face ao ano anterior, “essencialmente pelo decréscimo do EBITDA do portefólio” mas também pelo contributo da ZOPT, que está dependente dos resultados da Nos. As receitas, por seu lado, aumentaram em 0,8% para 130,5 milhões de euros.

Metade vai para dividendos

Perante os resultados apresentados, a administração aprovou a proposta de um dividendo de 7,7 cêntimos por ação, representando um rácio de pay out de 50% do resultado líquido e um retorno do dividendo de 3% com base na cotação de 31 de dezembro de 2016. A Sonaecom encerrou a última sessão nos 2,75 euros, o que coloca a rendibilidade da remuneração aos acionistas em 2,8%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sonaecom aumenta lucros. Dá mais dividendos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião